Giant’s Shadow de Battlefield 1: primeiras impressões

Battlefield 1 receberá amanhã (20) seu primeiro DLC e ele será totalmente gratuito para todos os jogadores. O pacote contará com novas armas e o mapa Giant’s Shadow, ou Sombra do Gigante.

Por meio de um acesso antecipado oferecido pela assessoria da EA, experimentamos as novidades antes do lançamento oficial e compartilhamos um pouco do que está por vir no dia de amanhã.

Gigante Caído

A descrição do mapa nos ajuda na contextualização do cenário: “As forças britânicas romperam a linha de Hindenburg e agora estão indo na direção de um importante centro ferroviário. Infantaria, tanques, ataques aéreos e por terra são ferozes.”

O novo local é baseado na Batalha de Selle (1918), um dos últimos combates da Primeira Guerra Mundial e conta com um cenário bem amplo, reforçando uma das principais características do game: batalhas colossais.

Em modos como Conquista, você inicia em um pequeno e típico vilarejo francês do início do século XX – moinhos, casas pequenas, uma igreja no centro da comunidade e um rio que abastece o local.

Mas logo de início, já se nota ao fundo uma gigantesca estrutura. Um dirigível recém acidentado – chamas e destroços podem ser vistos de longe. Você, naturalmente, se sente instigado a investigar o local do acidente.

sombra-do-gigante

Antes de chegar ao ponto crítico, é preciso conquistar alguns pontos estratégicos. O ponto “A” fica ao centro da vila. No começo, não há qualquer resistência inimiga, afinal a batalha acabou de ter início. Mas, os tiros começam a ser trocados muito rapidamente. As colinas próximas já estão guarnecidas pelos inimigos. Por sorte a cavalaria blindada aliada já está toda equipada.

Progredindo mais um pouco montanha acima, chega-se ao local onde o dirigível se encontra caído. Ferros retorcidos e a magnitude impressionam bastante. Somente o local da queda conta com dois pontos a serem conquistados. Neste momento, a batalha já está feroz.  O “Local da Queda” fica bem ao centro do mapa e conquistá-lo é um importante passo rumo à vitória. Ele pode ser um ponto estratégico para o respawn, recomposição da saúde e reabastecimento.

Mas conquistar o ponto central e estabelecer uma espécie de base ainda não é o bastante para o sucesso. É preciso progredir, ir além. Neste momento da luta, aproveitando a fragilidade do inimigo, é importante dominar o próximo ponto. Ele é o último antes da investida final: o centro ferroviário.

Mas estamos falando de uma experiência Battlefield. Ela nunca é linear. Salvo em raros momentos, um time não consegue se impor continuamente por todo o tempo. O mapa é grande e as variáveis dinâmicas impactam profundamente no gameplay.

A começar pelo clima: Em algumas partidas, uma densa neblina altera substancialmente a progressão. Com visibilidade baixa, os adversário podem contornar pelas laterais e conquistar pontos lá do início do mapa. Forçando o recuo de parte dos atacantes.

Outro diferencial é o Trem Blindado. Ele surge em favor da equipe que está sendo derrotada e pode promover uma virada sensacional. A máquina de guerra se movimenta do último ponto do inimigo até bem próximo ao Local da Queda, cobrindo boa parte do mapa.

Besta

Além do mapa, uma nova arma – Grenade Crossbow. Ela é capaz de lançar granadas de fragmentação ou explosivas de forma silenciosa. Entretanto, o novo gadget está disponível somente na classe de suporte.

crossbow

A Sombra do Gigante estará disponível amanhã (20), sem horário definido, e agrada bastante por oferecer um cenário bem legal, com diversas possibilidades de utilização das classes – um atirador por ficar na colina mais alta dando suporte de fogo aos aliados, mas, os combates nos vilarejos “pedem” por uma classe “Assalto”, por exemplo.

Aproveite ainda para conferir nossa análise completa do game: