[Análise] Chimparty: Vale a Pena?

Novo jogo com mini-games do PlayLink é experiência divertida para família e amigos.

Chimparty_destacada

Chimparty é uma tentativa de algo parecido com Mario Party, mas usando o PlayLink e o PlayStation 4 – e com chimpanzés no lugar dos personagens da Nintendo. Ou seja, pode parecer super legal, mas também meio doido. E a melhor maneira de classificá-lo é uma espécie de meio-termo entre isso aí mesmo.

Como pontos positivos, podemos destacar o sistema PlayLink, que permite que qualquer pessoa jogue com seu celular, sem necessitar de um DualShock 4, os gráficos coloridos, diferentes minigames e a localização parcial em português. Mas a jogabilidade não é das melhores e ele fica repetitivo (e confuso) com o tempo.

No fim das contas, Chimparty é uma experiência agradável, mas que deixa a desejar no que mais importa: o jeito de jogar. É uma pena, porque é um formato interessante e que tem bastante potencial, especialmente com smartphones sendo os joysticks. Infelizmente, porém, só vale a pena para um público bem restrito.

Macaco de Imitação

Sabe aquela história do macaco de imitação? É perfeita para analisar Chimparty. Só que com uma pegada daquele meme do “pode copiar, só não faz igual”. A ”inspiração” que o título tem em Mario Party é super clara, não só nos minigames como na questão do jogo de tabuleiro. Só que o resultado…

Chimparty é um joguinho de tabuleiro (Foto: Reprodução-Thiago Barros)

Para quem não está familiarizado com o título da Nintendo, e consequentemente, com o Chimparty, vamos explicar como funciona. Ele permite até quatro jogadores, que têm os avatares em um board game. Eles avançam nas casinhas de acordo com o desempenho em mini-games, que são definidos aleatoriamente.

Só que em Chimparty isso funciona de forma meio confusa. O jogador não consegue ver direito qual player está em cada casa, nunca duas pessoas podem ocupar o mesmo local e as escolhas de mini-games são baseadas no progresso de quem está em último. Esse poderia ser apenas um detalhe se os joguinhos fossem legais, mas…

São 18 minigames, sendo que alguns deles são apenas variações de outros. Tem muita coisa bacana, claro, como os jogos esportivos, simulando futebol, vôlei e basquete. São super-simples, com o controle pelo celular (que tem apenas um botão) funcionando com desempenho satisfatório.

Minigames esportivos são os mais divertidos (Foto: Reprodução-Thiago Barros)

E, apesar de só ter um botão, é possível usá-lo de várias formas e para movimentar-se pelos cenários. Segurar, tocar, apertar repetidamente. Tudo depende do minigame que você está jogando. Só que há alguns em que isso não parece suficiente, e a experiência torna-se um pouco mais frustrante do que divertida.

Em um deles, são várias plataformas, em andares diferentes, e você toca no botão para saltar. Só que, ao mesmo tempo, tem que segurar um item e evitar que outros jogadores roubem-no de você. Mas não dá pra controlar a direção de seus passos. Você só muda o lado para onde está andando se bater em algo ou alguém. É uma loucura.

Jogo tem gráficos bacanas e joguinhos legais (Foto: Reprodução-Thiago Barros)

No fim de cada joguinho, há uma tela com quantas estrelas cada um ganhou, e são elas que fazem você avançar no tabuleiro. Quem chegar ao sofá primeiro, ganha. Mas para o jogador que não quiser essa dinâmica, há outros modos: Blitz, com um evento aleatório seguindo o outro, e Custom, onde você escolhe os minigames que deseja jogar.

Poderia ser (bem) melhor

É preciso ter no mínimo dois jogadores em Chimparty, e no máximo quatro, com a CPU completando a party quando não houver todos os players humanos. É um jogo feito pra muita gente mesmo, e uma sugestão é fazer pequenas apostas com o grupo que estiver jogando, para deixá-lo mais divertido.

Campeão ganha um troféu de banana (Foto: Reprodução-Thiago Barros)

Visualmente, o jogo é agradável e bem apelativo para crianças. Bastante colorido e com personagens carismáticos e engraçadinhos, Chimparty acerta em cheio. Afinal, ele é um jogo voltado para famílias mesmo, ou até para os grupos de amigos que curtem se reunir para esse tipo de atividade.

Vale destacar ainda a localização parcial do jogo, com menus e legendas em português. Faltou só a dublagem. Mas como a narração é, basicamente, para dar instruções sobre esses minigames, ler no nosso idioma já acaba sendo mais do que suficiente. Naquele momento de pesar prós e contras, porém, o saldo é mais negativo do que positivo.

O preço dele é até razoável: R$ 61,50. Mesmo assim, é um investimento que deve passar como descartável para a maioria do público. Ele é legalzinho para fins muito específicos e, mesmo para esse nicho, não chega a ser tão relevante. A proposta é bacana, mas sua execução deixa a desejar em aspectos importantes.

Avaliação
Geral
6.0