GRID é uma reentrada da série de corrida em um ano com poucas opções do gênero. Ainda que o jogo consiga cumprir bem seus objetivos e atender a demanda, o calendário de lançamentos se tornou um aliado bem valioso na disputa pelo interesse dos entusiastas.

Acostumada a oferecer jogos bem completinhos, como as competentes séries F1 e DiRT Rally, a Codemasters optou por jogar no seguro desta vez. GRID é um bom jogo, mas deixa a sensação de que poderia ter conquistado uma posição de mais destaque na largada.

Fácil de aprender

Alguns acreditam que o “segredo” do sucesso está no equilíbrio do meio-termo. GRID aposta muito nisso. Os controles dos carros são fáceis de assimilar e não leva muito tempo para você conseguir fazer as primeiras ultrapassagens. Mas ainda assim oferecem nuances um pouco mais próximas de um “simulador”.

Longe da precisão carrancuda de Gran Turismo Sport e dos controles descompromissados de Need for Speed Payback. GRID está, rigorosamente, no meio. Você deve ter cuidado para não frear na zebra, mas pode fazer uma curva a mais de 200 Km/h sem se preocupar tanto com o guard rail.

E isso caiu como uma luva no game.

A jogabilidade oferece uma dose saborosa de diversão. É muito gostoso dominar as máquinas, fazer ultrapassagens em alta velocidade, ganhar posição em uma curva fechando os espaços dos oponentes e chegar na primeira colocação. Vale sempre uma atenção extra em climas chuvosos. Os carros ficam bem mais escorregadios e a visão comprometida.

GRID
Dirigir em condições chuvosas é bem desafiante.

O ponto alto é o nível de competitividade. Este reboot da Codemasters exige muita destreza dos jogadores para realizarem ultrapassagens ou mesmo conquistar as primeiras posições na linha de largada. Nas primeiras corridas, obviamente, é tudo mais fácil, mas o progresso revela uma ótima competição.

Destaque para o sistema nêmesis. Se você colidir forte em um adversário, vai irritá-lo e ele vai revidar na primeira oportunidade que tiver. Acredite: a vingança é plena em GRID. Os oponentes, deliberadamente, colocam seu carro fora da pista e não medem esforços para sua desgraça derrota.

Os acidentes são inevitáveis, na verdade. Em uma corrida com mais de 15 competidores, você verá acidentes de vários tipos. Os erros, no entanto, não são tão punitivos. Se cometer uma barbeiragem, pode voltar alguns segundos e refazer o traçado. Este recurso é amplamente usado na série Forza: Horizon, da Microsoft. E aqui funciona tão bem quanto.

O legal é que a IA também comete os mesmos erros que nós. Às vezes saindo da pista por uma frenagem incorreta, outras por adversários ou quando tentam colocar você para fora, mas erram.

O que não impressiona tanto são as opções de pistas. O jogo vem com oito localizações com oito circuitos. Ainda que a mescla de traçados (dia, noite, street, etc) possam resultar em mais de 80 opções, há uma sensação de que estamos correndo sempre nos mesmos lugares.

O jogo ainda deixa a desejar nas personalizações. Você pode somente trocar os decalques e pinturas, mas não há opções para escolher as peças com mais cuidado ou criar um carro com sua personalidade. Até as opções de ajustes de suspensão e pneus são limitadas. E, por fim, as equipes. Você é capaz de contratar um segundo piloto para formar uma dupla, mas acaba não fazendo tanta diferença na jogabilidade. É um recurso que pode até passar por despercebido.

GRID
Personalização não impressiona.

Isso acaba queimando um pouco a gordura do modo carreira. O esquema é simples: há categorias de corridas (muscle cars, turismo, super-carros, stock e invitational), cada qual com suas particularidades de carros e requisitos. No fim de cada série você é habilitado a um showdown, um grande evento. Completando quatro showdows, abre-se a GRID World Series, corridas muito mais competitivas.

Destaque para série Fernando Alonso. O automobilista espanhol colaborou na criação do game e conta até com sua Renault clássica, que o levou ao bicampeonato mundial de Fórmula 1.

Ainda que a ausência de recursos mais profundos de customização e aproveitamento do sistema de equipes ofusque um pouco, o modo Carreira é uma baita opção. Com mais de 100 eventos, oferece corridas muito divertidas, variadas e recebe a maior parte das atenções. É divertido, competitivo e é o que há de melhor em GRID.

GRID
Jogo é bem bonito e as competições são bem acirradas.

O que não ficou nada legal são os narradores (o jogo é todo localizado para nosso idioma), tanto os do circuito, quanto seu chefe de equipe. Os locutores falam SEMPRE as mesmas frases em todas as corridas. Após alguns eventos você pode acabar se irritando um pouco. Contribui para isso o fato do jogo não contar com músicas durante as competições. Então você escuta só o ronco dos motores e os narradores. Há uma sensação de que falta algo.

Se a oferta de conteúdos na Carreira é satisfatória, o mesmo não pode ser dito do multiplayer online. É funcional. Você escolhe entre disputas contra outros jogadores (através de salas)  e partidas privadas e o jogo se encarrega de escolher o evento de acordo com seu carro. Não há opções robustas de escolhas. O que é uma pena.

GRID e o meio-termo

Ao optar por “jogar o jogo do meio-termo”, GRID acabou ficando…pouco acima do meio. Poderia ter conquistado uma posição muito mais gloriosa se tivesse ousado mais na oferta de customizações, mais modos de jogo, pistas e eventos.

Até poderia pesar na balança o preço inicial do game. Antes do lançamento, o título era cotado por R$ 180 na PlayStation Store, um preço justo pelo que oferece, mas no momento de publicação desta análise, o mesmo jogo sai por R$ 250. Já pesa um pouco na balança.[Análise] GRID: Vale a Pena? 1

O modo Carreira é um atrativo bacana por oferecer mais de 100 eventos, e a Codemasters já garantiu a chegada de mais pistas e conteúdos – gratuitamente – para este ano. Haverá DLCs pagos também, mas já é um bom sinal.

De toda forma, se você quer um jogo de corrida mais tradicional ainda em 2019 que seja competitivo, que ofereça uma IA bem agressiva e precisão nos controles, GRID certamente deve figurar na sua lista.

GRID

7.7

Geral

7.7/10

Vantagens

  • Modo Carreira
  • IA dos oponentes
  • Competitividade
  • Jogabilidade

Desvantagens

  • Poucas personalizações
  • Narradores
  • Poucos modos