Para o bem, ou para o mal, Battle Princess Madelyn não esconde suas verdadeiras origens. Assim, não espere algo menos que um jogo old-school, que não tem medo de ser exatamente aquilo que é.

Pode-se dizer, até mesmo, que temos dois jogos distintos em um. O modo história conta uma narrativa interessante, ao passo que o modo Arcade é pura e simples ação desenfreada.

Talvez por sua proposta bastante direta, o título não obtenha o sucesso que se espera. Entenda mais em nossa análise.

Contos de princesas e suas batalhas

Com toda pompa de jogo retrô, o enredo não poderia ser diferente. Você encarna Madelyn, uma garota que teve sua família sequestrada e perdeu seu melhor amigo canino pelas mãos de uma força maligna. Simples e direto ao ponto.

Com este peso sobre suas costas, Madelyn tem agora a responsabilidade de resgatar sua família e salvar seu reino. Para tanto, atravessará inúmeros territórios, todos cheios de riscos e perigos, por terra, mar e ar, para cumprir seus objetivos.

Uma boa história começa com uma tragédia. Battle Princess Madelyn não é exceção. Fonte: Battle Princess Madelyn

Uma proposta clara que se encaixa na narrativa do título. Não espere, obviamente, por algo elaborado.

Fantasmas, goblins e muito mais

Battle Princess Madelyn poderia ser facilmente classificado como 2×1. O seu modo história possui uma jogabilidade distinta, incorporando diversos elementos mais atuais à sua estrutura. Além disso, a adoção do estilo “Metroidvania”, com itens e melhorias diversas a recolher.

Muitos elementos incorporados à jogabilidade clássica. Fonte: Battle Princess Madelyn

Com isso, o gameplay se torna bem mais complexo. O jogo é bastante extenso, com mapas amplos, e diversos objetivos opcionais e segredos. A falta de um mapa, contudo, complica bastante as coisas, visto que o título não é amigável quando se trata de dar direções.

Já a jogabilidade é bastante fluida. Tendo influências claras do clássico Ghost ‘n Goblins com combates foram refinados. É possível, agora, controlar os saltos de Madelyn, e atirar para mais direções. Ainda, os comandos são precisos e responsivos.

O jogo não terá misericórdia. Retorne o fogo com tudo que tiver. Fonte: Battle Princess Madelyn

Mas a cereja do bolo é o modo Arcade. Ali você sentirá realmente o feeling da velha guarda. Nada de objetivos opcionais, história intrincada ou coisas assim. É só você, os inimigos, e o terreno à sua frente. Exatamente como era. Exatamente como tem que ser.

Este pode ser considerado um jogo à parte, por assim dizer. E certamente é onde você vai passar a maior parte do seu tempo.

Vale o investimento?

Como todo bom jogo old school, Battle Princess Madelyn não vai agradar a todos. O visual e sonoplastia retratam com fidelidade a era de ouro dos 16-bits. O que, por si só, já afasta alguns jogadores, acostumados com a modernidade gráfico-sonora.

Além disso, a dificuldade punitiva do jogo fará torcer o nariz aqueles mais casuais. O modo história é um tanto movimentado e complexo demais para um jogo desta proposta. Mas se isso não incomodar você, o título é realmente uma boa pedida.

Com um modo Arcade como a melhor pedida do jogo, Battle Princess Madelyn se torna aquela homenagem mais que fiel aos grandes jogos do passado.

Avaliação
Geral
7