Mônica e a Guarda dos Coelhos marca o retorno da turminha do bairro do Limoeiro aos videogames, 24 anos depois de sua última aventura. O game é 100% brasileiro e foi produzido em parceria entre a Mad Mimic e a Maurício de Souza Produções.

Mônica e os personagens da turminha precisam trabalhar para defender castelos da invasão de monstros que espalham sujeira. Com a ajuda da Estrelinha Mágica e muita estratégia, você precisa coordenar a produção de pólvora e coelhos com efeitos explosivos únicos para matar os inimigos. Você pode fazer coelhos azuis (que funcionam como uma bala de canhão padrão), amarelos (que paralisam os inimigos) e rosas (que os tornam mais lentos).

Praticamente dando uma nova roupagem ao No Heroes Here da própria Mad Mimic, Mônica e a Guarda dos Coelhos traz um gameplay estilo tower defense cooperativo (mas também é possível jogá-lo sozinho). Cada canhão precisa ser carregado com a pólvora e o tipo de coelho desejado e, por serem posicionados em diferentes alturas, só acertam uma áreas específica do chão.

Apesar da estética e narrativa infantis, Mônica  e a Guarda dos Coelhos não é exatamente um jogo fácil, especialmente se você joga sozinho. Em alguns momentos pode ser bastante desafiador conseguir coordenar todas as ações para impedir as horas de inimigos de invadir o castelo. É necessário fazer a pólvora e os coelhos e colocá-los um de cada vez nos canhões (que precisam ser limpos depois do uso para fazer novos disparos). O nível de dificuldade é outro fator importante, alguns adicionam desafios como limitar o número de disparos, aumentando a necessidade de traçar estratégias melhores.

Em modo single-player você, precisa controlar dois personagens ao mesmo tempo para dar conta de todas as tarefas, o que pode ser bem confuso dependendo da fase. O jogo se torna bem mais agradável jogando-se em dupla. Talvez o maior problema do game seja o fato de não haver nenhum tipo de adaptação que torne a experiência mais tranquila para quem decidir jogá-lo sozinho. Conforme a dificuldade vai aumentando, o co-op se torna obrigatório.

O jogo pode ser considerado bem curtinho, com quatro mundos de cinco fases cada, mas você pode perder bastante tempo para solucionar cada uma delas.

Mônica e a Guarda dos Coelhos não é nenhuma super produção, mas seu objetivo não é exatamente impressionar com gráficos ou narrativas envolventes. A questão aqui é se divertir, principalmente com amigos, com um gameplay bem desafiador e estratégico. Se é isso que você busca, saiba que o game certamente cumpre a proposta, além de entregar muito bem a nostalgia da Turma da Mônica.