[Análise Rápida] RIGS Mechanized Combat League: Vale a Pena?

Jogo mistura tiros, robôs e esporte; pode ser ruim? 

Rigs: Mechanized Combat League tem uma trajetória interessante no mercado: após ser lançado como um dos grandes destaques do PlayStation VR, rapidamente entrou em promoção, foi dado gratuitamente na PlayStation Store dos Estados Unidos e, agora, com o lançamento dos óculos no Brasil, pode ser baixado de graça por aqui também.

Desenvolvido pela Guerrilla Cambridge, Rigs: Mechanized Combat League é um jogo futurista que coloca os jogadores como pilotos de Rigs, que são robôs de combate esportivo. Ou seja, você está no meio de um campeonato, com máquinas atléticas, rápidas, grandes e armadas para lutas muito emocionantes e intensas.

Explosivo

Como assim: um campeonato esportivo entre robôs? Tem que ser sensacional, certo? Certo! Não existe, talvez, um jogo com um combate tão explosivo e intenso no PlayStation VR. Rigs, de fato, coloca você dentro do cockpit de um robôzão cheio de habilidades e armas, joga numa arena e só diz: seja feliz!

Tiros, “gols”, “touchdowns”, explosões… São três modos de jogo: PowerSlam, End Zone e Team TakeDown. E você pode jogar sozinho, no Modo Carreira, evoluindo de prova em prova e sendo considerado um grande astro da Combat League, ou multipllayer, seja cooperativo com até três jogadores contra a máquina ou competitivo, com você e dois robôs de IA contra um time rival.

Vestir um robozão e entrar em combate é bem interessante.

Parece incrível, não? E, de fato, na jogabilidade e diversão, ele cumpre muito bem o seu papel – apesar de pessoas mais sensíveis poderem enjoar com certa facilidade devido ao alto nível de movimentos bruscos necessários para se dar bem no game. As batalhas são exatamente como se pode esperar. Mas…

Infelizmente, Rigs: Mechanized Combat League tem defeitos que não podem passar em branco. Primeiro, os gráficos, que afetam também a imersão, obviamente. O visual do jogo tinha tudo pra ser incrível, mas nos combates é notório que há falhas. Fica tudo meio embaçado, especialmente se você chegar perto das máquinas e observar bem.

Os cenários até são bem construídos e criativos, mas os elementos gráficos não chamam tanta atenção. Uma pena. Assim como o modo online. A presença dele, e as possibilidades que são oferecidas ao jogador, são ótimas. No entanto, para jogar em si, além da conexão nem sempre ser das melhores, é difícil demais encontrar uma partida.

Vale a pena?

Pelo preço do jogo na PlayStation Store (R$ 191,90), certamente, não. Após uma queda substancial nos preço, talvez. Na promoção da PlayStation Store nacional após o lançamento do PSVR aqui no Brasil, de graça, vale muito! Especialmente se você acabou de comprar o VR (ou vai pegá-lo até o final do ano) e não quer gastar muito em jogos por enquanto.

Se Rigs: Mechanized Combat League tivesse gráficos como os de Eve Valkyrie, por exemplo, ele seria super recomendado. Mas, como não tem, fica esta ressalva. Mas para quem não liga muito para isso e quer só se divertir com uma proposta bem diferente de combates explosivos em uma arena esportiva em realidade virtual, fique à vontade.

AVALIAÇÃO FINAL
Jogabilidade
8
Visual
7
Imersão
7.5
Sonoplastia
8
Diversão
8
COMPARTILHAR