Aven Colony: Vale a pena?

Com uma mecânica robusta e bem desenvolvida, Aven Colony coloca o jogador no papel de um colonizador de planetas!

Todos nós, em algum momento de nossa infância, possivelmente já brincamos com peças LEGO. Construímos grandes castelos ou cidades interioranas, arrojadas e compactadas. Desde muito tempo, a ideia de ser um arquiteto da vida sempre flertou com a mente de todo ser humano. Em Aven Colony, não só podemos realizar esse desejo, como também ser responsável pela colonização de outros planetas.

Jogos de Estratégia em Tempo Real (RTS) se consagraram com o lançamento de Age of Empires e Age of Mythology, clássicos para todo jogador. Aven Colony segue a mesma linha de produção, com um nível de dificuldade mais elevado e umas beleza estonteante, mas com menos recursos do que aqueles.

Aven Colony foi desenvolvido pela Motership Entertainment e oferece um game consolidado, livre de falhas técnicas, pecando apenas na falta de oportunidades.

Quem? Onde? Como?

Em Aven Colony, você assume o papel de um colonizador, responsável para construir cidades auto-sustentáveis em distintos planetas. Ao longo de sua primeira missão, alguns eventos estranhos começam a surgir e o jogador é levado numa aventura a descobrir segredos do passado de raças alienígenas.

A verdade é que o enredo em si é apenas um pano de fundo, um “plus” ao jogo, não oferecendo uma experiência muito interessante. A narrativa é contada somente através de diálogos entre outros personagens do jogo, os quais mantêm um contato com você durante os momentos em que você está cuidando de sua colônia.

Os diálogos que narram a história se perdem em meio à prioridade de gerenciar sua colônia. Fonte: captura de tela.

Em muitos momentos (quase todos), você simplesmente irá ignorar as conversas entre os participantes por estar focado demasiadamente no gerenciamento de sua cidade. Enquanto os diálogos acontecem, os problemas continuam surgindo e é preciso priorizar estes em detrimento daqueles. Mas no final, você percebe que a história não é cativante.

O destaque do jogo está mesmo na organização da colônia, em seu gerenciamento. É preciso lidar com os problemas da disponibilidade do oxigênio, bem como a produção de alimentos, geração de energia, construção de habitações, mineração, produção industrial, desenvolvimento de tecnologias, ofertas de lazer e trabalho. Muita coisa, não? É divertido ser o responsável pela formação de um organismo vivo, como é a construção da colônia.

Seja O Colonizador

O jogador terá à disposição nove níveis de campanha para colonização. Cada uma vivenciada em um planeta diferente com biomas específicos. Em cada ambiente, restrições são postas e o jogador precisa lidar com elas. A exemplo da fase três, a região tem 90% de sua área coberta por gelo. Logo, não é possível construir fazendas. Todos os elementos compõem a lógica e torna-se cada vez mais desafiador.

Não somente em questões naturais é preciso dar conta, como também problemas que possam surgir. Esporos causadores de doenças aparecem pela corrente de ar e podem contaminar sua cidade. Ou então, seres extraterrestres surgem para danificar seus edifícios. Seu objetivo é sempre garantir a felicidade dos cidadãos e, para isso, é preciso construir os órgãos que atendam suas necessidades.

É preciso tomar cuidado com os problemas que surgem. A não resolução implica na infelicidade da colônia. Fonte: captura de tela.

Ao contrário dos jogos do gênero, em Aven Colony o objetivo principal não é claro em cada missão, sendo necessário progredir por missões secundárias até o momento que “a missão principal” surge para você terminar a fase. Este sistema é confuso, pois limita os jogadores a seguir certos rumos nos quais ele nem mesmo queria trilhar.

Pelas aparências, tais missões servem para aliviar a pressão sob os colonizadores e darem um direcionamento específico para a vitória. Mesmo com essa pequena ajuda, acredite, o jogo é desafiador. A dificuldade “Insane” torna a missão de colonização ainda mais tensa, com recursos escassos e intempéries a todo momento.

A missão de Vitória é desbloqueada no momento que o jogo possibilitar. Isso é frustrante para os que não gostam de enrolar. Fonte: captura de tela.

Não é só a Terra que é bela

Um dos destaques de Aven Colony é certamente a beleza que o jogo insere de forma caricaturada, com cores vivas e uma boa diversidade. Os jogadores passarão por ambientes desérticos, enfrentando minhocas gigantes, ou então, estarão em um cenário paradisíaco com cachoeiras enormes e terreno ideal para plantação. Os cenários abrangem várias oportunidades.

Cada fase demonstra um trabalho artístico de level design caprichado. Não estamos falando de uma beleza gráfica a lá Horizon: Zero Dawn, por exemplo. Porém, em Aven Colony, percebemos a vivacidade da natureza ao reparar o contraste da água com a grama. Os ambientes soam como um quadro, agradável aos olhos de quem vê.

Houston… We have a problem

Os erros de Aven Colony não são técnicos, como já mencionado, porém, apresentam-se na forma de falta de recursos que poderiam acrescentar positivamente à experiência.

Em primeiro lugar, o que é notado instantaneamente, é a falta de opções de legendas na língua portuguesa. É claro que o game é bem intuitivo, com mecânicas interessantes e bem desenvolvidas. Contudo, com a “ação” da colonização, fica difícil traduzir os diálogos entre os tripulantes.

Para os que não possuem o básico da língua inglesa (o que, na verdade, é um recurso essencial para o cotidiano atualmente), Aven Colony pode ser bem desagradável, por não se conseguir compreender as determinadas funções de edifícios ou implementar uma resolução rápida aos problemas que aparecem.

Tratando sobre a jogabilidade, não existem erros que comprometem a jogatina. Porém, durante toda a jornada, fica o questionamento: “Onde estão as raças alienígenas?! Cadê a possibilidade de formar naves que explorarão ambientes inóspitos? Cadê a possibilidade de diplomacia com extraterrestres esquisitos?” Pois bem, não existem.

É triste o fato de estar jogando um título com a premissa de colonização em diversos planetas e não haver a possibilidade de contactar com raças diferentes para formar alianças ou atacá-las. Entendo que este não é o foco do jogo, porém, a falta dessa possibilidade deixou de contribuir incisivamente para o título.

Isso é tudo, pessoal

Talvez o maior problema de Aven Colony para os jogadores será o fator replay. A não ser para os caçadores de Platina ou para aqueles que desejam um desafio maior, ao completar as 10 fases da campanha, existe apenas o modo “Sandbox”, o qual os jogadores colonizam o planeta apenas por gosto.

Com 9 fases de campanha e o modo criativo, Aven Colony não oferece mais nada além. Apenas para os que querem a platina, o fator replay é reaproveitado. Fonte: captura de tela.

Ou seja, é possível que, após o término da campanha, o jogo fique esquecido na sua biblioteca. Não existem recursos adicionais que possibilitem uma duração maior da campanha, apenas o próprio desejo de realizar 100% (o que nem todos possuem).

Ao infinito e além

Com um sistema sólido e bem desenvolvido e um desenho de níveis que cativa pela sua beleza, Aven Colony é um bom jogo. Contudo, o produto final entrega um conteúdo restrito que o custo vs. benefício possa não valer a pena neste momento em que o game custa R$ 107,00 na PlayStation Store.

Assim como nós esperamos boas promoções para realizarmos viagens de férias ou negócios, espere uma promoção para cursar este trajeto intergaláctico. O jogo cumpre seus propósitos de estratégia em tempo real, porém, a limitação de oportunidades fazem com que o game seja enxuto e não possa oferecer muito além das expectativas dos jogadores.

AVALIAÇÃO FINAL
Jogabilidade
9
Visual
9
Diversão
8
Enredo
6
Fator replay
5
COMPARTILHAR