EA Sports UFC é o jogo que marca o debut da maior organização de MMA do mundo na nova geração. O game gerou bastante expectativa por tentar reproduzir os grandes confrontos entre os famosos lutadores. Agora os fãs do esporte podem reproduzir, pelo menos virtualmente, uma luta entre entre Jon Jones e Anderson Silva.

Será que as promessas foram todas cumpridas e uma nova franquia acaba de surgir?

VISUAL

Visualmente, o jogo é incrível. Certamente um dos gráficos mais impressionantes a chegar ao PlayStation 4. Rostos muito bem trabalhados, além das cicatrizes e tatuagens que marcam o corpo dos atletas terem sido reproduzidas com cuidado e fidelidade. Outro destaque fica por conta do sistema de deformação, que realmente funciona, e assim como prometido, suor e sangue espirram dos atletas de maneira muito realista.

EA Sports UFC

SOM

O game está todo em português do Brasil, inclusive a narração. Os comentários em nossa língua por vezes deixam a desejar, em comparação aos mesmos na língua inglesa. O ponto de destaque fica por conta dos corners, que repassam instruções muito fiéis ao combate que se desenrola no octógno, isso em ambos os idiomas.

As músicas presentes no game também são interessantes. Há uma diversidade boa entre os gêneros, e é bastante agradável a presença de algumas faixas icônicas para os fãs do esporte, como a versão de “Ain’t no sunshine” do DMX, conhecida por ser usada nas entradas do ex-campeão Anderson Silva, além de algumas faixas presentes na série Fight Night.

JOGABILIDADE

O estúdio EA Canada é conhecido pela série Fight Night, um dos melhores jogos de luta, e não decepciona na parte da trocação (socos e chutes, para os menos entendidos no esporte). Há bastante variação de golpes, como é esperado de um jogo de MMA. 

É possível reproduzir com fidelidade os movimentos conhecidos dos amantes do esporte como overhands, body shots, low kicks e clinches. No início, não é uma tarefa simples se lembrar de todas as combinações. O tutorial inicial é bastante completo e cumpre a função de iniciar os gamers menos familiarizado com o gênero.

Bruce Lee UFC

A facilidade de nocautear, uma das grandes reclamações com relação aos games da THQ, foi reduzida um pouco, obrigando o jogador a pensar em melhores estratégias ao invés de apenas martelar o mesmo golpe.

Na parte de animação, os golpes são bem variados entre os lutadores, apesar de existir um pouco de repetição nos movimentos mais elaborados (os chamados power moves) entre combatentes da mesma categoria. 

A parte de chão decepciona um pouco os mais exigentes, pois é muito fácil realizar quedas, quase não há esgrima (disputa entre os lutadores em pé para defender ou forçar uma queda). 

Um apertar de botão e você pode derrubar seu adversário, e com a mesma facilidade, defender uma queda ou realizar uma transição mas, acabar com uma luta no ground­-and-­pound é muito difícil, tornando a experiência um pouco frustrante para os fãs do wrestling. 

O sistema de finalização continua confuso, em algumas situações é bastante complicado encaixar a posição ou defender o golpe.

A inteligência artificial está melhorada com relação a série Undisputed, exceto por alguns momentos nos quais a maquina literalmente “apela” e começa a desferir power moves em sequência, de uma maneira que não acontece no esporte real, frustrando os novatos, que são derrotados com facilidade. 

A opção da produtora em limitar os nocautes técnicos pode dividir opiniões. Por um lado, as lutas ficam mais dinâmicas em contrapartida, o realismo é deixado de lado.

Outro ponto polêmico são os stats dos lutadores, alguns erros foram cometidos, como o campeão da categoria meio-pesado Jon Jones, que é extremamente desequilibrado, obrigando a quem joga contra ele ficar basicamente no contra ataque, pois tentar lutar de maneira franca é derrota quase certa.

A reclamação também se estende a outros campeões, como Cain Velasquez, que tem um stat de wrestling extremamente alto, maior inclusive do que o de seu professor na modalidade (Daniel Cormier, lutador da categoria meio-pesado), e Ronda Rousey, originalmente uma lutadora de judô e que apresenta stats mais altos na luta de pé do que outros competidores conhecidos por serem peritos nessa área, como Renan Barão.

CARREIRA

Um modo bastante divulgado pela EA foi o modo carreira, no qual é possível criar seu lutador, passar pelo reality show do UFC (The Ultimate Fighter ­- TUF) e partir rumo ao título da organização. 

A experiência de ser um lutador do UFC é bastante satisfatória, com direito a mensagens em vídeo dos astros da companhia para motivar seu desempenho e inclusive, algumas entrevistas bem elaboradas sobre o que é ser um competidor no maior evento de MMA do mundo. 

EA Sports UFC Carrer

Mas nem tudo são flores. As lutas atribuem muitos pontos de experiência, possibilitando a criação de personagens muito fortes em pouco tempo. Além disso, os treinos não exigem muito. Isso faz com que o gamer perca um pouco a motivação de continuar na carreira até chegar a aposentadoria.

Outro ponto fraco é o sistema de fãs e vitalidade, visto que se você tiver muitos fãs eles praticamente anulam a punição que o game dá pra quem luta muito agressivamente e recebe muitos golpes em regiões sensíveis do corpo.

ONLINE

O modo online é satisfatório, muitas ideias foram aproveitadas dos outros games da produtora, como o sistema de rankings e temporadas. A conexão é bastante boa e estável.

O ponto negativo fica por um pequeno detalhe mas, bastante irritante: a impossibilidade de pedir revanche contra um amigo da PSN, obrigando-lhe a iniciar uma nova sessão e convidar seu amigo toda vez que se quer disputar uma outra luta contra o mesmo.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Como primeira empreitada da EA usando a marca do UFC e estreia do gênero na nova geração, o game cumpre o seu papel e cria bases para um título futuro. 

Não é perfeito, pois carrega algumas falhas que ainda irritam um pouco os mais exigentes e que devem ser corrigidas em atualizações ou nas próximas versões do jogo.

Os bugs também estão presentes no título. Algumas bizarrices já foram registradas por jogadores. Confira no vídeo abaixo:

No geral, o game certamente vai agradar aqueles fãs do esporte e gerar curiosidade àqueles que ainda não conhecem o esporte.

3 - Selo de Prata

Escrito por: Raphael Barbosa