Kratos chegou ao PlayStation 4 com sua insaciável sede por vingança. O espartano faz sua estreia na nova geração através de uma remasterização do cultuado God of War III, mas será que o game vale a pena? Isso você confere agora!

Mais um remaster,  ó céus…porque?

Você, meu caro amigo gamer, certamente já ouviu centenas de comentários a respeito das remasterizações. Talvez você tenha sua opinião formada sobre o assunto, talvez você nem se importe com o tema ou você pode ser indiferente, mas não é difícil imaginar que você também já se questionou sobre. Porque?

Bem, os objetivos desta e das demais remasterizações dos exclusivos da Sony são muito claros.

De acordo com os números da companhia japonesa, cerca de 40% das pessoas que possuem um PlayStation 4 hoje, vieram migradas de outras plataformas ou seja, na sétima geração estas pessoas tinham um XBox 360, Nintendo Wii ou qualquer outro console que não fosse um PlayStation 3.

Dessa forma, estas pessoas não tiveram a oportunidade de experimentar os grandes exclusivos do PS3. Então os remasteres tem a missão de introduzir estas franquias a estes “novatos”.

E elas (remasterizações) vem cumprindo este papel de forma brilhante, o que se traduz em vendas. Basta observar que o The Last of Us: Remasterizado já vendeu mais de 3 milhões de unidades em todo mundo.

Se você ainda estiver reticente quanto a isto, basta acessar a nossa página no Facebook ou mesmo conferir os comentários do site e irá identificar uma quantidade considerável de pessoas que estão dando graças aos céus (ou Sony) por terem a possibilidade de jogar os exclusivos.

Um outro foco das remasterizações é preencher a lacuna de lançamentos. Você bem sabe que o PS4 não terá uma vasta lista de exclusivos este ano e se faz necessário dar uma resposta aos consumidores.

Uncharted 4 e o ainda não anunciado God of War 4 são provas de que ainda teremos que esperar um pouco mais para termos os jogos chamados de sales-console, então os velhos Nathan Drake e Kratos vão nos entretendo enquanto o momento não chega.

Feito esta contextualização, vamos ao que interessa!

Enredo

Bem, é pouco provável que você ainda não conheça a história de God of War, mas vamos lá! O terceiro capítulo da franquia começa exatamente de onde o segundo parou.

Os deuses do Olimpo, comandados por Zeus, estão tentando impedir que o Fantasma de Esparta conquiste a tão falada vingança, mas todos os esforços tem sido em vão, frente a brutalidade de Kratos.

GoW 3

O personagem controlado pelo jogador é um guerreiro impiedoso e está totalmente cego pelo desejo de destruição. Um a um os deuses vão sendo dilacerados por Kratos, nas formas mais brutais possíveis.

E assim, o general escala a passos largos o monte Olimpio e não há deseu ou mesmo titan que seja capaz de impedí-lo. Aquela célebra frase do Seu Madruga (A vingança nunca é plena, mata a alma e a envenena) não faz nenhum sentido aqui.

GoW 3 encerra, de maneira majestosa, o final da saga. A Santa Monica soube criar uma narrativa interessante que de fato faz com que os jogadores fiquem presos a trama, sempre na expectativa de mutilar um novo deus ou encontrar algum inimigo presente na mitologia grega, para depois….bem você já sabe.

Visual

Nos idos de 2010, quando o game foi originalmente lançado, os visuais deixaram a todos estarrecidos. Eram texturas, modelos e efeitos visuais surpreendentes e belíssimos.

God of War III possui certamente um dos mais bonitos e polidos visuais do PlayStation 3. Até nos dias de hoje ainda chega a impressionar pelo capricho das cenas de corte, personagems altamente detalhados e bem feitos.

God of War 3 Remastered

A versão de PlayStation 4 traz de volta todo este esplendor, dessa vez com refinos e melhorias pontuais.

Se você procura um visual muito diferente daquele de 2010, bem você ficará decepcionado. O visual não sofreu mudanças impactantes, o que necessariamente não é ruim, uma vez que o game ja era muito bonito.

A resolução em 1080p e, principalmente os 60 FPS, adicionam melhorias interessantes a obra. O gameplay ganhou em fluidez e estabilidade. Movimentar-se rapidamente, fazer combinações alucinantes e acompanhar o sangue jorrando na tela nunca foi tão fluído e rápido.

O framerate aumentado e estável em 60 quadros por segundo garante ao jogador uma melhor sensação ao assistir as cenas mais nítidas e quentes.

Outras melhorias pontuais como iluminação, sombreamento, modelagem dos personagens também foram adicionadas ao título.

Jogabilidade

God of War III é um jogo hack and slash e a premissa básica destes títulos é o apertar constante de botões, sem muito mistério e frescuras. Para desferir combos basta realizar combinações simples entre os ataques, agarramentos e saltos.

Com isso as mais variadas combinações destruitivas vão se formando na tela sem mistérios ou complicações. Na verdade, o estilo de jogabilidade é bastante simples e de fácil aprendizado.

A versão resmaterizada optou por conservar os mesmo botões e forma de jogo da versão original. Assim sendo, não é possível alterar ou girar o ângulo da câmera ou fazer ajustes.

Este estilo mais fixo de câmera e ângulo mostra como os jogos evoluíram desde o 2010. Hoje em dia a grande maioria dos títulos permite que a alternância de ângulos.

Mas, isto não é um impedimento ou impecilho. São apenas características diferentes de cada jogo. Com menos de 10 minutos de gameplay já é possível relembrar o esquema de jogo.

Sonoridade

Neste aspecto o game não recebeu muitos ajustes ou melhorias significativas, até porque não era necessario. A parte sonora do God of War III são simplesmente épicas. Os sons ambientes, a agonia dos personagens ao serem partidos ao meio, a voz imponente de Kratos e a trilha sonora orquestrada criam todo clima.

É impressionante ouvir as músicas em momentos mais intensos, principalmente nas batalhas contra os chefes. Em alguns momentos chega a arrepiar.

Modo Fotográfico

Uma das novidades da versão remasterizada é o modo fotográfico, que na verdade vem se tornando tendência nos jogos de 8º geração.

O jogador tem a oportundiade de pausar o gameplay e capturar aquele momento intenso e compartilhar com os amigos nas redes sociais. É possível passar várias horas tentando encontrar o melhor ângulo ou mesmo momento para dar o “click” perfeito.

Gow Photo Mode

O momento mais propício para utilizar o novo recurso é justamente nas batalhas contras os chefes, no exato momento em que Kratos é comandado por Quick Time Events.

Localização

Uma outra adição, muito bem-vinda por sinal, foram as legendas e menus em PT-BR. A versão nacional está muito bem servida no aspecto de localização. As legendas em nosso idioma facilitam o entendimento do enredo e as leituras dos arquivos encontrados ao longo do jogo.

Se você jogou o título lá em 2010 e ficou um pouco perdido nos diálogos, esta é uma ótima oportunidade para preencher este vazio e resolver pendências do passado.

Considerações Finais

God of War III: Remastered é indicado para aqueles que não jogaram o game em 2010 e para os jogadores que desejam reviver a experiência, dessa vez com melhor qualidade visual e fluídez no gameplay.

Se você procura algo novo em relação ao que já foi visto, este jogo não é para você. Entretanto, se você é daqueles que gosta de reviver uma aventura épica, relembrar os bons momentos e ainda se interar de todos os diálogos do game, vale a pena dar uma conferia nesta versão remasterizada.

2 - Selo de Ouro