Quando anunciada, a coleção de Uncharted era tida somente como um tira gosto para o Uncharted 4: A Thief’s End, ou mesmo uma forma de preencher a lacuna no período de lançamentos, contudo a remasterização realizada pela Bluepoint foi além das expectativas e entregou aos jogadores um produto de excelente qualidade.

Confira o que achamos de Uncharted: The Nathan Drake Collection!

Prefácio

Você, caro leitor, certamente já se questionou sobre o motivo de existirem tantas remasterizações nesta oitava geração e você tem toda razão, elas são quase infinitas! E resposta para esta tendência é bastante simples: tem um público enorme que se interessa e compra estas versões repaginas. Este consumidor gamer, em sua maioria, é aquele que veio de outras plataformas e que não tiveram a oportunidade de experimentarem Uncharted, The Last of Us, God of War entre tantos outros.

De acordo com consultorias especializadas, 40% dos donos de um PS4 vieram de outras plataformas (Xbox 360, Wii, WiiU). Portanto, uma grande fatia de jogadores e isto justificaria todos estes jogos “requentados”.

Contudo, Uncharted Collection chegou com outros propósitos além de apresentar a franquia aos não inseridos, o game vai além do esperado e oferece novidades para série como: melhorias na jogabilidade, mecânicas, novas opções de dificuldades, etc.

Enredo

As tramas e peripécias de Nathan Drake já são conhecidas por praticamente todos os jogadores, mas vamos trazer um pequeno resumo de cada uma das histórias.

The Nathan Drake Collection

Drake’s Fortune: Lançado em 2007, o game fazia a apresentação de Nathan Drake, um caçador de tesouros com extrema habilidade de entrar em enrasdas, mas com habilidades ainda maiores para sair delas de forma simplesmente épica.

Drake e seus amigos Victor Sullivan e a repórtes Elena Fisher estão em busca do tesouro perdido de El Dourodado, entrentanto, várias outras pessoas estão com os mesmos interesses e não vão medir esforços para tentar atrapalhar os heróis.

Among Thieves: Neste novo capítulo, Drake em companhia dos seus antigos amigos, seguem na tentativa de descobrir os segredos e tesouros encontrados pelo explorador Marco Polo. Neste jornada, somos apresentados a uma outra importante personagem, Chloe Frazer um antigo affair de Nathan. A colisão entre Nathan, Elena e Chloe proporciona divertidas discussões e diálogos.

O segundo game é o mais intenso de todos. A sua narrativa é maravilhosamente imersiva, divertida e explosiva. Among Thieves é considerado o melhor jogo da série.

Drake’s Deception: O último enredo da série lida com buscas relacionadas a Francis Drake, também exploraador que supostamente encontrou a cidade misteriosa de Ubar. Nathe e sua trupe partem então rumo ao desconhecido. Em Uncharted 3 os jogadores farão diversas viagens por muitos locais. De todos os três, é aquele que mais possui variações de cenários.

A série Uncharted pega emprestado elementos de vários filmes e games, principalmente Indiana Jones, A Lenda do Tesouro Perdido e Tomb Raider. A Naughty Dog destacou seus melhores funcionários para trabalhar na série e os resultados não poderiam ser melhores.

Visual

Uncharted Collection é uma remasterização, portanto, com é de costume nos casos, tenha em mente que os aspectos técnicos e visuais serão semelhantes aos originais. Mesmo seguindo esta premissa, cabe ressaltar o esforço, dedicação e cuidado que a BluePoint empregou neste projeto. Trata-se da melhor remasterização do PlayStation 4, superando inclusive o The Last of Us: Remastered.

Uncharted Collection

Todos os três títulos receberam substanciais melhorias visuais com destaque para: Texturas, iluminação, geometrias em 3D, profundidade, sombreamentos, etc.

Os desenvolvedores não se contentaram somente em atualizar as imagens para 1080p em 60 FPS. Muitas das texturas foram refeitas e ajustadas para explorar melhor o potencial do PlayStation 4.

Além disso, a modelagem dos personagens, principalmente o Nathan, foram atualizadas de modo que ficassem semelhantes nos três jogos. Dessa forma, o jogador terá uma experiência satisfatória nos três games e os impactos que diferenciam os heróis do primeiro para terceiro forma minizados.

A diferença mais significativa, como era de se esperar, é refletida em Drake’s Fortune. O primeiro game da série está totalmente renovado, com texturas e iluminações impressionantes. Não que os demais não estejam bons, mas elas são menos percepítiveis nestes.

Jogabilidade

Como já exposto, a responsável pela remasterização cuidou para que o houvessem muitas melhorias além daquelas citadas no quesito acima.

As mecânicas e esquemas de jogabilidade foram substancialmente melhoradas. Novamente, Drake’s Fortune é o mais beneficiado entre todos os outros. Os sistemas de cobertura, saltos, escaladas e movimentação estão mais fluídas que suas versões originais.

Mirar, tirar e lançar granadas foram mapeados para um melhor proveito do DualShock 4. Os gatilhos inferiores (R2 e L2) agora são utilizados em detrimento dos (R1 e L1). Esta pequena mudança proporciona resultados imediatos, afinal fica muito mais fácil utilizar os gatilhos inferiores.

Apesar das melhorias, os sistemas de coberturas de UC3 ainda é mais afinado que o UC1. Muito do que é possível fazer no game mais novo não é possível no mais antigo ou, por vezes, sair do modo de cobertura para outro local pode gerar um pouco de confusão na jogabilidade.

Sonoridade e dublagem

Em se tratando de efeitos sonoros, Uncharted Collection matém o padrão de excelência dos jogos originais, com a adição da dublagem brasileira nos três games. Anteriormente, aqueles que desejam compreender melhor o enredo dos dois primeiros jogos, deveriam recorrer ao português de Portugal. Não era a melhor da alternativas, mas “quebrava um galho”.

A localização mantém o padrão visto em Uncharted 3 e não chega na qualidade vista em The Last of Us, mas cumpre o seu papel de oferecer uma alternativa aos jogadores, mesmo que não da melhor maneira possível.

As vozes escolhidas para os personagens, em alguns casos, não combinam mas, o ponto negativo fica por conta da interpretação e entonação das atores. Em certos momentos Nathan está passando por momentos intensos, com muita ação, mas a voz não repassa de forma convincente todo teor das cenas expostas. Isso pode frustar os mais exigentes.

Extras

Além das melhorias técnicas, a “nova” versão conta ainda:

  • Dificuldade Brutal: Nosso modo de jogo mais dificil até agora. É o derradeiro desafio, uma vez que a jogabilidade será mais punitiva do que na dificuldade Crushing (desbloqueado após terminar o jogo na dificuldade Crushing).
  • Velocidade da corrida: Foi adicionado um timer para acompanhar o seu tempo de jogo contra amigos, ver o seu progresso contra eles e comparar como eles jogam.
  • Modo explorador: Modo de jogo totalmente novo para jogadores iniciantes, no qual a dificuldade do combate foi reduzida significantemente. 

Modo fotográfico, troféus adicionais, 80 skins bônus e acesso exclusivo o multiplayer BETA de Uncharted 4: A Thief’s End.

Considerações Finais

Uncharted: The Nathan Drake Collection vai além das expectativas e propõe aos jogadores uma re-vivência dos grandes momentos da franquia em melhor qualidade, mais detalhada e ajustada para uma melhor experiência dos jogadores. A remasterização contextualiza os iniciantes na franquia e desperta o desejo para o futuro Uncharted 4.

O trabalho realizado pela Bluepoint também pode ser considerado uma prova de carinho e respeito pela série, uma vez que o projeto foi desenvolvido com cuidado e delicadeza.

Por outro lado, os pontos negativos ficam por conta da ausência dos modos multiplayer e de deslizes na dublagem brasileira, mas são pontos que não interferem na jogatina.

2 - Selo de Ouro