Considerado como o “sucessor espiritual” de Banjo Kazooie, Yooka Laylee chega cercado de grandes expectativas pelo público gamer. O projeto apresentou uma fórmula, geralmente de sucesso, que soma aventura e animações. Com isso, angariou alguns milhares de dólares para o desenvolvimento do jogo no Kickstarter.

Assim, chegam o pequeno camaleão e seu amigo morcego na busca de se mostrarem merecedores (ou não) de tamanho legado e responsabilidade.

Passando pelas páginas dessa história

Personagens carismáticos, por si só, não fazem o sucesso de um jogo. É preciso introduzi-los em um ambiente criativo dinâmico, que seja capaz de prender a atenção dos jogadores, em busca dos objetivos do jogo.

Seguindo esse caminho, Yooka-Laylee apresenta a aventura de dois amigos, que possuíam um livro muito especial, roubado pelo vilão Capital B, em plano maquiavélico de capturar todos os livros usados do mundo.

Mas antes de cair nas mãos do vilão, o livro estrategicamente se desfez, espalhando suas páginas em diferentes mundos. Estas caíram nas mãos de personagens “especialistas” em negociação, que as trocam após a dupla de heróis realizarem com sucesso alguns desafios.

Yooka-Laylee
Umas das páginas do livro especial de Yooka e Laylee. Fonte: Captura de Tela

Ainda assim, algumas páginas caem nas mãos de alguns capangas de Capital B, que exigem ainda mais de Yooka e Laylee, promovendo verdadeiras batalhas em trocas dos pequenos pedaços de papel.

Essa estratégia da história abre espaço para a aparição e destaque de diversos personagens secundários. Inclusive de outros games, como no caso da participação especial de Shovel Knight.

Além das batalhas com os chefes de cada mundo, esses personagens secundários propõem disputas de corrida, pedidos de ajuda, descidas em trilhos, resolução de quebra-cabeças, além de diversos outros desafios.

Yooka-Laylee
Um dos primeiros chefes do game. Fonte: Captura de Tela.

São páginas de leitura fácil?

Yooka-Laylee possui toda essa capacidade de entreter o jogador, praticamente em um modelo de mundo aberto, no qual o jogador decide qual desafio enfrentar primeiro. Mas a história é contada de forma repetitiva, o que prejudica a continuidade.

Escutar sempre o mesmo “barulho” emitido pelos personagens nas conversas chega a ser maçante, forçando o jogador a adiantar os diálogos, para que ação seja logo retomada.

Além do som das conversas, as animações dos personagens, principais durante os diálogos com os personagens secundários, são sempre as mesmas. Não há diferenciação na emoção ou na urgência das conversas.

E por falar em som, as músicas variam pouco e colaboram menos ainda para a criação de um ambiente mais imersivo para o game.

Yooka-Laylee
Diálogos em inglês, sem a devida tradução, é uma das falhas do game. Fonte: Captura de Tela.

Mas é possível que o uma das grandes faltas sentidas no jogo é a localização em português. O game não conta com legendas em português, como havia sido prometido pela Team17. Assim, cabe ao jogador tentar entender, caso não conheça a língua inglesa, quais são as tarefas a serem realizadas.

Uma jogabilidade que surpreende

Esses detalhes negativos, para alguns, podem não interferir diretamente no gameplay. Este, de longe, passa a ser o ponto mais positivo do game.

Uma movimentação fluída dos personagens, bem como comandos bem coordenados, fazem com que o jogo seja uma experiência bastante positiva

O seu modelo de mundo aberto oferece uma dinâmica diferente dos tradicionais jogos de aventura em animação, em sua maioria lineares. Mostra que existem diversas possibilidades e formas para cumprir os objetivos.

Yooka-Laylee
Andar sobre trilhos é uma das atrações do game

Sem falar no modo cooperativo local, que anda esquecido por muitos bons jogos. Este possibilita que um amigo participe da mesma aventura, ajudando o jogador principal a alcançar os objetivos do jogo.

O desafio tem espaço na biblioteca?

Yooka-Laylee é um projeto independente que mostrou ao universo e ao mercado gamer que é possível tirar sonhos e projetos do papel, com ajuda e inspiração de alguns fãs.

Mas é inegável que essa responsabilidade parece ter pesado um pouco para seus produtores e desenvolvedores, que tiveram dificuldades em cumprir as expectativas que circundavam o título.

Os pontos positivos de Yooka-Laylee o habilitam como um bom jogo e facilitam sua entrada em diversas bibliotecas de gamers. Assim que estiver em uma boa promoção.

Assim, tantos os antigos jogadores, que lembram de Banjo Kazooie, como os mais jovens podem aproveitar para se divertir e experimentar esse novo modelo de aventura.