Não, a família Marston não existiu, nem a gangue Van Der Linde realmente aprontou suas peripécias na vida real, mas Red Dead Redemption 2 é muito mais baseado na história do que muita gente imagina. A história do jogo será desenrolada durante o ano de 1899, bem no final do que chamamos até hoje de “Velho Oeste” nos Estados Unidos.

E, como a gente gosta de falar de história e fazer uns previews meio loucos de games que têm um background bacana, por que não detalhar um pouquinho de como foi esse fim de Século XIX e como era a vida das pessoas naquela época? Afinal, filmes e lendas sobre aquela época não faltam. Mas o Meu PS4 te contará mais sobre a realidade dela.

Velho Oeste

Antes de qualquer coisa, é preciso entender o que significa Velho Oeste. Basicamente, foi o período do Século XIX que marcou o avanço dos EUA pra costa do Pacífico. Mas ao mesmo tempo que representou o progresso do país à época, causa polêmica até os dias de hoje pelo assassinato e expulsão dos ameríndios, habitantes da região.

Assim que muita gente tem o Velho Oeste no seu imaginário (Foto: Reprodução)

O nome “Velho Oeste” vem, justamente, pelo fato de essa área ser à Oeste do que os americanos já habitavam. A expansão da “fronteira”, outro termo bastante usado para referir-se ao período, começou com o presidente Thomas Jefferson, depois da compra da Louisiana, em 1803.

À época, França, Espanha e os recém-independentes Estados Unidos da América, que venceram a guerra contra o Reino Unido em 1783, negociavam intensamente as terras, que antes eram consideradas “selvagens e inabitáveis”. Em 1805, houve a primeira ida, de fato, do Leste para o Oeste atuais dos EUA.

Porém, foi somente em 1821 que um novo estado foi adicionado ao país: o Missouri. Só que as terras “do lado de lá” também tinham habitantes: os ameríndios. Por isso, no ano de 1830, o presidente Andrew Jackson assinou o Indian Removal Act, que autorizava os governantes a negociarem com os índios a remoção deles daqueles territórios.

Mapa mostra as rotas de remoção dos índios de territórios no Oeste (Foto: Reprodução)

A partir daí, começou a polêmica. Houve quem negociasse, de fato, como o Tratado de Fort Laramie, de 1851, entre tribos e o governo, que permitiu construção de rodovias e fortes em territórios habitados em troca de 50 mil dólares por ano durante 50 anos, mas também houve batalhas, como o ataque de índios a militares em Utah em 1853.

Nas décadas seguintes, a tensão continuou, com confrontos históricos, anexações de territórios e um novo elemento, que surgiu em meados dos anos 1860: as gangues de criminosos. Nesse período, nascem nomes como Hurricane Bill, Jesse e Frank James, Billy The Kid, Butch Cassidy e tantos outros bandidos que viraram “celebridades”.

Gangue de Jesse James é uma das mais famosas da época (Foto: Reprodução)

Foi em 1862 que a expansão começou a ficar mais séria, quando o presidente Abraham Lincoln assinou o Homestead Act, lei que dava terras no oeste a quem se dispusesse a ocupá-las por pelo menos cinco anos. Muita gente gostou da ideia e abraçou a aventura pelo desconhecido.

Década de 1890

Mas a década em que se passa Red Dead Redemption 2 é justamente a que marca o fim desse período. Idaho, Wyoming e Utah foram anexados aos Estados Unidos, que chegava aos 45 estados. A fronteira entre leste e oeste acaba. Inicia-se a vida que foi exemplificada, por muitos, como o início do “sonho americano”.

Salt Lake City, em Utah, no ano de 1890 era assim (Foto: Reprodução)

É exatamente o que vemos em filmes western: as histórias dos cowboys, pioneiros, ameríndios, garimpeiros, empresários, todos sendo exaltados e transformados em protagonistas. As pessoas que saíram do Leste para o desconhecido Oeste e, toda polêmica à parte, foram bem sucedidos.

Durante essa década, tivemos guerras de família, como a Pleasant Valley War, diversos assaltos a trem, assassinato de militares e civis, roubos a banco e momentos históricos, como o direito ao voto para mulheres do Colorado, o Congresso Indígena no Nebraska e a descoberta do petróleo onde hoje está Bartlesville, Oklahoma.

O ano de 1899 em si ficou marcado por dois grandes roubos a trens (algo “comum” na época): o de Pearl Heart em viagem pela área do Arizona, que acabou com o bandido sendo preso logo depois, e de Butch Cassidy e sua gangue, Wild Bunch, roubando um trem de passageiros em Wyoming, conseguindo escapar com sucesso.

Butch Cassidy, um dos mais famosos bandidos do Velho Oeste (Foto: Reprodução)

A primeira usina elétrica do país tinha acabado de ser criada, telefone e carros eram só recém inventados, locomotivas eram o principal meio de transporte rápido… Tudo isso acontecendo apenas cerca de 30 anos após o fim da Guerra Civil Americana e 15 anos antes da I Guerra Mundial.

Tudo indicava era que o tempo dessas gangues e da guerra por territórios estava perto do fim. O último estado a ser incorporado aos EUA foi o Arizona, em 1912, pertinho do período do primeiro Red Dead Redemption, que acontece em 1911, e menos de 15 anos depois dos eventos de Red Dead Redemption 2.

Bang Bang

Agora que já fizemos uma rápida introdução do que foi o Velho Oeste e o que ocorria para gerar tanta tensão naquele tempo, vamos aos mitos que se criaram em torno do período. Duelos, xerifes heróis, grupos de bandidos malvados que assaltavam bancos, saqueavam tudo e tocavam o terror nas cidades.

The Wild Bunch, uma das gangues mais temidas da época (Foto: Reprodução)



Bem, tudo isso é muito legal na fantasia, mas não era a realidade. Óbvio, houve alguns momentos assim, mas o Velho Oeste não era uma terra sem lei, como ficou gravado no imaginário de muita gente. Pelo contrário. Havia muitas cidades, inclusive, com regras anti-armamentistas, algo bem diferente do que vemos atualmente nos Estados Unidos.

Havia duelos, sim, claro, mas sempre em locais mais afastados da cidade, com regras, além de serem só por motivos mais graves – e as disputas sempre foram consideradas ilegais. Assim como os tiroteios, na busca por mais ouro, gado ou bens do comércio de uma cidade específica, e os roubos a bancos e trens.

Mas a polícia estava sempre atenta, e fazia grandes mobilizações para tentar impedir gangues de agirem com liberdade. Há até um famoso caso da grande batalha de OK Corral, que na verdade foi um tiroteio de 30 segundos, com poucos disparos, mas que tornou-se um embate épico no filme Paixão dos Fortes, de John Ford.

San Francisco, hoje super moderna, era assim no Velho Oeste (Foto: Reprodução)

Só que a vida no Velho Oeste era bem mais modesta do que isso – e pudemos ver nos trailers de Red Dead Redemption 2 que isso será explorado. Pequenas cidades, com a modernidade começando a chegar, muito foco na agricultura e pecuária, além de bares e saloons com bebidas e mulheres.

Era uma vida pacata, de uma sociedade ainda se acostumando com a modernidade, e já caminhando para o progresso que se tornou símbolo dos americanos no Século XX. Podemos, inclusive, ver essa sociedade muito bem retratada nas imagens que já foram divulgadas de RDR 2, mas claro, com a violência um pouquinho exagerada.

Trailers

Vimos muitas imagens da área rural do Oeste norte-americano, as gangues acampando em meio a florestas cheias de animais selvagens, transporte de carruagem e a cavalo, roubos a trens e bancos, brigas entre gangues (algumas falando até em se aposentar), além de cidadezinhas típicas da época.

Novo Red Dead Redemption promete muita ação (Foto: Divulgação/Rockstar Games)

O próprio trailer #3 do jogo diz isso: “Em 1899, o Velho Oeste já estava quase domado. A era dos atiradores e criminosos estava virando mito”. O primeiro vídeo de gameplay, por sua vez, mostra a ambientação de uma cidade e combates. “A era dos criminosos estava acabando, e o mundo moderno nascendo”, diz a narração dele.

Na virada do Século, havia tanto áreas inabitadas e ainda bem antiquadas, como mais avançadas e modernas para a época. E quem vivia do crime, claro, estava ficando sem opções – o que parece ser um dos focos do enredo. As gangues pretendem fazer roubos maiores, para garantirem suas aposentadorias.

No segundo trailer de gameplay, vemos que Arthur e os seus companheiros de gangue têm várias opções de atividades para fazer, desde roubar um trem até caçar alvos e/ou só vagar pelo enorme (e lindo) mundo de Red Dead Redemption 2. Claro, com policiais sempre na sua cola, mais ou menos como em GTA V.

Jogo promete mundo gigantesco e lindo (Foto: Divulgação/Rockstar Games)

Obviamente, toda essa ambientação histórica se encaixa com uma prequel do que foi mostrado no primeiro Red Dead Redemption; que você pode relembrar nesse especial incrível. Além disso não se esqueça de dar uma olhada em tudo o que já publicamos a respeito de Red Dead Redemption 2 conferindo nosso índice do jogo.