O final de semana de testes privados de The Division 2, em versão beta, mostrou duas faces do jogo de maneira bem clara. De um lado, a diversão de jogar com os amigos e as missões com o nível de dificuldade no ponto certo. Do outro, problemas de gameplay que não foram corrigidos do seu antecessor e um downgrade gráfico decepcionante.

Meu PS4já havia testado o game na E3 2018, mas agora a experiência foi muito mais completa e, com isso, deu para analisar melhor os seus pontos positivos e negativos. No geral, porém, a impressão é que, assim como acontece com Assassin’s Creed e Far Cry, parece que The Division 2 só “trocou de roupa” em relação ao jogo anterior.

Mas isso não quer dizer que o jogo seja ruim. Assassin’s Creed Odyssey, por exemplo, apresenta clara evolução em relação a Origins. Tanto pelos gráficos mais bonitos como pelos novos atrativos de gameplay, como diálogos que influenciam na história e o lado mais apurado de RPG.

Talvez aconteça algo assim com The Division 2, e ele impressione mais do que o jogo original. Pela versão beta, no entanto, não é o que parece. Especialmente porque nos gráficos parece haver um downgrade bem decepcionante – e olha que testamos o jogo usando um PS4 Pro.

BETA privado de The Division 2 diverte, mas levanta preocupações 1

A ambientação é aquém da expectativa, com renderização de texturas e elementos só quando o personagem passa pelos objetos, além de faces sem muita expressão e um mundo “sem vida”. Não é que o jogo seja feio, mas sim que ele parece do começo da geração, não do final.

Não dá para comparar com God of War, Red Dead Redemption 2, Kingdom Hearts 3, por exemplo. É sempre bom lembrar que é uma versão beta, mas mesmo assim, um vídeo comprova bem o que estamos falando: The Division 2, graficamente, é quase idêntico ao primeiro. De positivo mesmo, ficam as variações climáticas.

BETA privado de The Division 2 diverte, mas levanta preocupações 2

E isso segue para o gameplay. A diversão do co-op da aventura da Ubisoft é incrível. Juntar os amigos e explorar uma missão, o mundo aberto ou ir à Zona Cega, é claro, acaba sendo o ponto alto do jogo – e, no fim das contas, o que mais importa mesmo. Além do storytelling, que agrada bastante. Porém, nem tudo são flores.

Há um detalhe de jogabilidade que incomoda muito desde o primeiro The Division: o botão de esquivar ser o mesmo de cover. Se você apertar X duas vezes para rolar e estiver perto de uma pilastra, a chance de você ao invés de sair do local acabar indo para ela são enormes – e isso atrapalha muito em trocas de tiro.

BETA privado de The Division 2 diverte, mas levanta preocupações 3

Outro problema identificado foi a conectividade. Quedas de pessoas das sessões se tornaram comuns na versão beta. Novamente, é importante lembrar que é uma beta, então isso pode ser corrigido para a versão final. Entretanto, devemos citar o que foi visto – a exemplo do que aconteceu em Anthem, por exemplo.

Em breve, devemos ter uma versão beta aberta do jogo, que permitirá jogar um pouco mais e ver se tudo está como antes ou se houve melhorias. Até 15 de março, ainda dá tempo de acertar alguns detalhes para a versão completa, não é mesmo? Resta torcer para isso. Pelo menos, dessa vez teremos servidores por aqui!

Downgrade gráfico, velhos problemas de jogabilidade e conectividade limitada ligam sinal de alerta para o jogo completo.

No fim das contas, o que já podemos dizer é que The Division 2, provavelmente, fará sucesso com a grande base de jogadores do primeiro game. Porém, não espere um game com inovações e novidades em relação a seu antecessor. É “mais do mesmo”. Para o bem e para o mal.