O primeiro dia da BGS é sempre marcado por um sentimento: aquele friozinho na barriga. Reencontro com amigos, chances de testar jogos ainda não lançados, falar com desenvolvedores e viver – literalmente – de videogames por cinco dias seguidos.

Especialmente para nós, é importante estar aqui. Todos trabalhamos remotamente e não nos vemos com tanta frequência, afinal há pessoas de: Rio de Janeiro, Minas, Gerais, Bahia e até Amazonas. Este é o momento que passamos cinco dias juntos absolutamente marcantes.

E dessa vez viemos “expandido” com: Juninho (nosso Social Media que tem detalhado toda a BGS 2019 no nosso Instagram); o Vinícius “Parábola”, redator novato; e o Brunão, o editor de vídeos. Os mais experientes também estão aqui. A famosa Tatiane, a co-editora-chefe, Bruna e o…digamos, carismático, Daniel.

Embora a feira esteja com grandes atrações, a edição deste ano da BGS parece estar sentido “o fim da geração” nos estandes. O evento conta com menos espaços – a Americanas, por exemplo, não está no evento. No entanto, a infra-estrutura das atrações são gigantescas. Destaques para a área dedicada ao Fortnite que simula o campo de batalha junto com o ônibus-voador e volta da Nintendo.

BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 1 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 2 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 3 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 4BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 5 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 6 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 7 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 8 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 9 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 10 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 11 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 12 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 13 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 14 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 15 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 16 BGS 2019: o primeiro dia de uma feira intensa 17

Os estandes da PlayStation e da Xbox, como sempre, são os principais pontos para os testes. Além das estações com diferentes jogos espalhados em ambas as áreas, como Nioh 2, Dragon Ball Z: Kakarot, Final Fantasy VII Remake, Marvel’s Avengers, Call of Duty: Modern Warfare, Bleeding Edge, as apresentações acontecem constantemente nos palcos. A interatividade com o público é a marca registrada das duas gigantes.

É no estande da PlayStation que os nossos esforços são concentrados. Em uma hora, a equipe do Meu PS4 jogou, entrevistou, ouviu apresentações e conversou com amigos conhecidos. Quem disse que jogar videogame não dá trabalho?!

View this post on Instagram

#PlayStation da #BGS2019 está demais!

A post shared by Meu PS4 (@meups4_oficial) on

É legar ver a interação com a galera. O pessoal de PlayStation faz as coisas com muita dedicação e carinho. Tem muita gente atenciosa que explica os jogos, dá show nos palcos, oferece assistência para as pessoas com necessidades especiais. É um clima gostoso.

No fim das contas, quem define mesmo o clima da feira é a comunidade. Mesmo com um dia chuvoso, a alegria do jogador brasileiro é perceptível nos cosplayers, na determinação em enfrentar filas quase sem fim, nas sacolas cheias de presentes para os amigos.

 

Não há tempo ruim mesmo com as dores nas pernas, o cansaço e a fome. É gostoso participar desse movimento. A boa sensação de vencer o chefão em Nioh 2, o sentimento de “dever cumprido” ao abater o Sentinel Scorpion em FFVII Remake, a emoção heroica em assumir os personagens de Marvel’s Avengers. Tudo isso é bom, mas o que vale mesmo é ter a resenha entre amigos que garantem boas doses de risadas.

Claro que o final da noite é o momento de recarregar as baterias. E nós do Meu PS4 fazemos ao melhor estilo entre amigos. Saímos, damos (mais)risadas e comemos pizza. Relembramos os melhores momentos do dia e damos risadas das horas que foram trágicas. A diversão é peça central do pacote chamado BGS 2019.

Este foi somente o primeiro de cinco dias. A feira ainda promete muito mais. Isso porque mais o nosso grande amigo, Thiago Barros, ainda vai chegar para fechar o nosso bonde e é essa a verdadeira atração da feira: não é vencer os jogos, mas ter a oportunidade de encontrar e construir relacionamentos verdadeiros entre as pessoas.