Com direito à Seleção e Copa, Pro Clubs vira febre no Brasil

Confira primeiro capítulo da série sobre o modo 11 x 11 do FIFA 17!

Representar o seu país é um orgulho que nem todo mundo tem, independente da área de atuação. No esporte, então, o sonho é de muitos, mas vira a realidade de poucos. Agora, imagine para um apaixonado por futebol, que não se tornou nenhum Neymar com a bola no pé, mas tem a grande chance de disputar uma partida de Copa do Mundo?

Essa é a realidade de 25 brasileiros, que neste domingo, às 16h30, vestirão a amarelinha, para enfrentar a Rússia nas quartas de final da Copa do Mundo de Pro Clubs – aquele modo de jogo do FIFA 17 em que jogam, online, 11 jogadores em cada time. Nada de chuteiras nos pés, e sim o DualShock 4 nas mãos. Um estilo que só cresce entre os brasileiros.

Resultado de imagem para fifa pro clubs brasil

É o principal torneio de seleções de Pro Clubs no mundo. Algo com que a gente se envolve bastante e tem muito carinho. Nunca acreditei tanto no título. Primeiro, em razão do amadurecimento do trabalho. Segundo porque acho que esse ano a disposição dos grupos e chaves acabou nos ajudando a ter um caminho menos tortuoso do que no último ano. O time, a comissão técnica, todos se prepararam muito bem – explicou o diretor de seleções do Brasil no Pro Clubs do FIFA 17, Eduardo Patriota.

Campeão da Copa América e da Copa das Confederações, e primeiro nas Eliminatórias, o Brasil chegou à Copa do Mundo como potência e não está decepcionando. A Seleção superou Hong Kong, Alemanha e Itália na fase de grupos, com a goleada por 7 a 0 sobre a Azzurra como destaque. Nas oitavas, bateu Portugal. Agora, chegou a hora da Rússia.

COPA DO MUNDO – WCVP- World Confederation Virtual ProÉ VENCER OU VENCER!!! Domingo a Seleção Brasileira entra em campo pelas quartas de final da Copa do Mundo contra a fortíssima seleção da Russia.

Posted by Team NS on Saturday, July 15, 2017

 

O Mundial tem ainda, além de Brasil e Rússia, Alemanha, Itália, Áustria, Venezuela, Turquia e Japão nesta fase. E para evitar injustiças por problemas de conexão entre os países, cada confronto tem dois jogos. Em cada um, uma equipe “hospeda” o jogo no servidor da sua região. Em caso de empate na soma dos jogos, disputa-se mais dois.

Especialmente contra países asiáticos é muito difícil. Nós caímos contra o Japão nas quartas da Copa do Mundo de 2016. É complicado por causa do lag. Até mesmo contra países da Europa. A gente tem um delay grande, de 2 a 3 segundos as vezes, muitos jogadores são desconectados, e isso atrapalha um pouco – destacou Jonnathan Braga, técnico do Brasil. 

A competição é organizada pela WCVP (World Confederation Virtual Pro), e hospedada pela CBFOL. A participação dos times da América do Sul fica a cargo da CSVP, algo como a CONMEBOL do futebol. No Brasil, há seis confederações de Pro Clubs: CBFOL, VPN , CBFV, FBPC, VPSL e SUPER FIFA. Cada uma tem os seus campeonatos, e nós falaremos mais sobre isso em outro capítulo.

O caminho para a Copa do Mundo

A Copa do Mundo é o auge de um calendário extenso. O Brasil tem muitos torneios online de Pro Clus, como o Brasileirão CBFOL, FBPC Challenge, Copa do Brasil CBFV, Liga LBC, Brasileirão SUPER FIFA e o VPSL. Sem falar dos “Corujões” de fim de semana. Tudo sob o olhar do técnico da Seleção e dono de um dos principais times do país, o United Team, Jonnathan Braga.

Tive que refazer o elenco no meio da temporada, então foram várias observações, peneiras, até chegar ao grupo final. Temos hoje 25 jogadores no elenco da Copa, e a minha comissão técnica tem o Feijó Fifa, o Rodrigo Tavares e o Renato Cavalera. São jogadores experientes, de alta capacidade para expor nossas ideias e dar treinamentos. Temos jogadores de diversos clubes, como Dragões da Real, Rubro FC, Barça, United Team, HooSIER… – relatou.

E, assim como na vida real, chegar à Seleção é um objetivo, mas também uma consequência do bom trabalho feito no clube. É o caso do HooSIER E-Sports. Rafael Bodas, presidente da equipe, fundada em 2006 e no Pro Clubs desde o início do FIFA 17, revela a importância de ter representantes nesta Copa do Mundo da modalidade.

É uma honra. Ainda mais vendo jogadores que começaram conosco conquistarem essa vaga acreditando no projeto do time. Yurislv e Brunicmalev, fundadores do time estão lá. Após a convocação, receberam propostas financeiras excelentes e hoje estão em outros clubes, mas nos representarão sempre. KoreiaJR é outro jogador do HooSIER nessa Copa e vive uma fase mágica. MarcomirandaMV e diegolopes2014, sempre representam a Seleção, e embora não tenham figurado na lista final mostram que hoje somos uma das forças no Brasil – ressalta.

Para chegar à Copa do Mundo, é preciso disputar as Eliminatórias. Como na vida real, elas são divididas por região, e os brasileiros passaram fácil pela América do Sul, classificando-se com quatro rodadas de antecedência. A equipe treina todos os dias e sempre “aquece” antes de um confronto “à vera”. A preparação é intensa para alcançar o sucesso.

Nós treinamos no horário de meia-noite até 1h30, porque os campeonatos nacionais sempre acabam por volta de meia-noite. Então, quando acabam os jogos, corremos para o grupo da seleção e fazemos os treinos. Eu preparo os esquemas táticos, conversamos, tentamos sempre fazer alguns jogos antes das partidas valendo também, e nos preparamos – conta Jonnathan Braga.

Futuro ainda mais promissor

A seleção brasileira de Pro Clubs deve passar por reformulações após a Copa do Mundo. Para o FIFA 18, ela será organizada pela CBFV (Confederação Brasileira de Futebol Virtual), que aposta muito na Seleção Sub-23. Ela será como a atual seleção da base, campeã da Liga Mundial e da Copa América de Base, mas totalmente integrada ao time principal.

Como o número de convocados para a seleção principal é curto e temos uma comunidade bem grande, muita gente boa fica de fora. A base vai ser para quem está numa crescente e quer ter uma oportunidade. Vai ter uma sincronia entre base e principal. Sempre tentar usar a formação igual, as convocações serão em parceria, caso alguém da principal tenha que se ausentar, será vista uma opção na base… A ideia é sempre usar a base como uma peneira, e todos os grandes campeonatos de seleções terão competições de base – observou Aloysio Angelim.

Resta torcer para que todo o trabalho seja convertido no primeiro título do Brasil na competição. Essa é a terceira edição da Copa do Mundo de Pro Clubs, lançada em 2015, mas os brasileiros ainda não faturaram o caneco. Aloysio Angelim não acredita que por falta de qualidade técnica, mas sim pela já citada dificuldade de conexão.

É muito importante para a auto-estima do cara ser convocado pela seleção brasileira. Se você fala isso pra alguém, até quem não conhece, naquela conversa de bar ali: “Tô na seleção brasileira de videogame”. As pessoas perguntam, você mostra os vídeos, isso empolga. Todo mundo quer saber mais. É um sonho jogar na seleção, ser jogador de futebol na vida real, e você traz isso pro virtual. A chance de título é muito grande. O nível do Brasil é Top 5. Temos realmente os melhores do mundo. O que peca é conexão. Podemos fazer um baita jogo, mas a conexão estraga. Quando eles criam o jogo, é um delay monstro. Vai ter Brasil x Rússia. Temos que meter 5, 6 gols, e na outra lá será um Deus nos acuda. Pelo que assistimos, acredito que não teria pra ninguém se não fosse a conexão. 

Com título ou não, o Brasil já é uma potência no Pro Clubs, e a tendência é de que isso só cresça no FIFA 18. E nós estaremos aqui para contar essa história!

Confira a campanha da Seleção Brasileira na Copa do Mundo:

Brasil 5×0 Hong Kong e Hong Kong 2×0 Brasil
Brasil 4×0 Alemanha e Alemanha 2×1 Brasil
Brasil 7×0 Italía e Itália 2×0 Brasil
Brasil 3×1 Portugal e Portugal 1×0 Brasil

GOLS

6 – Diego
4 – Tavares
2 – Becker
2 – Jonnathan Braga
2 – R1
2 – Jhoony Blade
1 – Robot Knigth
1 – Renato Cavallera

ASSISTÊNCIAS

5 – Becker
3 – Tavares
3 – R1
3 – Jonnathan Braga
2 – Jhoony Blade
1 –  Robot Knigth
1 – Jones
1 – Vitor Hiroi
1 – Alberto The Fenix

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol? A pergunta da clássica música do grupo Skank é perfeita para descrever o sucesso que o modo Pro Clubs do FIFA 17 vem fazendo no Brasil. Afinal, somos o país do futebol, mas nem todos os apaixonados pelo esporte alcançaram o objetivo de se dedicar a ele profissionalmente. Os campos virtuais, então, são uma alternativa.

Ganhar títulos, ser o artilheiro, ter seu nome na lista da convocação para a Seleção… Tudo isso se torna possível com só um controle na mão. Sem chuteira, caneleira, meião e, principalmente, preparo físico invejável. Mas não pense que isso torna a tarefa fácil. Tem peneira, treino todo dia e jogos tarde da noite. Sem falar na disputa acirrada por posições.

Nos próximos dias, vamos trazer para os leitores do Meu PS4 um panorama completo do cenário deste modo de jogo no país. São mais de 800 clubes e 15 mil jogadores espalhados em diversas confederações, que organizam campeonatos, copas, corujões e têm até parceiras com federações de outros países para disputar torneios continentais e globais. Fique ligado!