O nome da série que o Meu PS4 está produzindo sobre o modo Pro Clubs do FIFA 17 é “Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?”. E já tem gente sentindo o gosto da realização desse sonho com suas versões virtuais. É o caso dos atletas de Dragões da Real, Wolves e Barça FC, times que investem dinheiro para montar os seus elencos.

Os gastos ainda são muito inferiores ao que se vê no futebol real, e até mesmo em modalidades de eSports mais populares no momento, como o League of Legends, Counter Strike e até Rainbow Six Siege. Mas já se fala em luvas na contratação de alguns atletas e um incentivo mensal para outros.

Dragões da Real – Nivaldo Pellegrini (Pellegrini-10)

A Dragões da Real e-Sports é a equipe da Dragões da Real, torcida organizada do São Paulo. Fundada há oito meses, conquistou o Brasileirão das séries C e B e o Estadual da CBFOL, o Brasileirão Série C da VPN e já teve sete jogadores na seleção. Tudo isso com apoio dos são paulinos no dia a dia.

A relação do time com a torcida do São Paulo tem sido acima do esperado. Temos os jogos transmitidos em nossa página, com narradores e comentaristas profissionais, e o alcance é muito grande. A interação dos torcedores com nossa equipe tem sido gigante, os torcedores já começaram a conhecer cada jogador nosso e estão se adaptando com o Pro Clubs e o Fifa – afirmou Pellegrini, responsável pela equipe.

O time começou por hobby, mas já gastou cerca de 10 a 15 mil na montagem do elenco para as competições virtuais. De início, tudo foi feito de forma mais amadora. Mas hoje já existem contratos e formas legais para investir no clube. Atualmente, o grupo tem 30 jogadores e alguns deles recebem incentivos mensais.

A ideia é profissionalizar toda a nossa equipe, porém hoje, sem patrocínio, ainda não é viável. Mas eu creio que o Pro Clubs passará o nível do LoL em um curto prazo. Basta entendermos que o futebol é o maior esporte do mundo, e o Pro Clubs é um simulador idêntico e perfeito dele. Então a tendência é de que isso aumente no Fifa 18 – concluiu.

Wolves – Dark-Du-Mau

O Wolves foi assumido por Dark-Du-Mau em maio, e ele chegou com a mentalidade já definida de transformar a equipe em uma das melhores do cenário nacional. Para isso, abriu os cofres. Primeiro, investiu em jogadores de confiança dele e já consagrados no modo. Depois, foi atrás de reforços. Chegou a pagar R$ 3,6 mil de luvas para um deles.

Em duas semanas, montamos um time que já estava muito forte e batendo de frente com qualquer adversário, inclusive já sendo considerado um dos melhores times do Pro Clubs. Nesse meio tempo, o Jean, que era um dos donos da equipe, acabou saindo. Eu comprei a parte dele e então formei uma nova diretoria, para me auxiliar, com Tavares, Dorta, Yuri e Feijó – contou.

Atualmente, o elenco tem 24 jogadores, com 12 deles sendo pagos mensalmente para jogar. O time está forte na disputa da VPN, para seguir seu caminho de títulos, que já conta com a Champions Cup, da própria VPN, e o Campeonato Brasileiro da CBFOL, quando ainda se chamava Vira-Casaca. E a tendência é seguir investindo.

É ótimo treinar uma equipe com investimento. Tem mais responsabilidade, atletas com aquele esforço para melhorar a cada dia e todos ouvem. Quem não está nesse espírito, não fica, e contratamos outros, porque tem muita gente querendo participar do projeto. Acho que essa deveria ser a mentalidade de todos. Assim teríamos mais investidores e ajudaria muito a profissionalizar o Pro – opinou Felipe Dorta, técnico do Wolves.

Barça FC – Carlos Aguiar (kzlx30)

O nome é inspirado no estilo tiki-taka do Barcelona da vida real, e os resultados que o Barça FC vem alcançando no Pro Clubs são dignos do famoso time da Catalunha. São quatro títulos e três vice-campeonatos em grandes torneios, liderando a tabela da VPN, e um elenco de 35 jogadores de alto nível.

Nosso time procurava seguir o padrão de domínio e posse de bola do Barcelona e por isso tem esse nome. Eu entrei no clube há um ano, mas o investimento foi feito todo por mim. Combinamos individualmente com cada atleta os valores para vir e, em alguns dos casos, salários mensais – explicou Carlos Alex Aguiar, responsável pela equipe.

Para montar e manter este elenco, já foram desembolsados cerca de 30 mil reais. Hoje, o time conta com “os dois maiores jogadores de Pro Clubs do Brasil”, segundo Carlos, “Gabriel Vercet” e “PHGeneral”. Atualmente, há atletas que recebem cerca de R$ 1 mil por mês. E a expectativa é de crescimento e organização pro futuro do modo.

Vejo o modo crescendo rapidamente, e não tem como dimensionar ainda o tamanho que isso pode ficar. Estamos passando por uma transição difícil na tentativa de monetizar e profissionalizar o Pro Clubs. Eu acho que vai continuar o crescimento que vem tendo nos últimos dois anos, porém com mais organização – completou.

Boavista, de Portugal – Recurty

Em Portugal, existe um tradicional clube de futebol já investindo em uma equipe de Pro Clubs. É o Boavista, que recentemente apresentou o elenco para a próxima temporada e conta até com um brasileiro: Renato Curty, que representou o clube na Segunda Divisão B da LP FIFA desde o início do ano e agora teve a recompensa pelo belo trabalho feito.

Decidi vir para cá em março do ano passado, então fiquei meio off das competições. Aqui em Portugal, cheguei a fazer testes, entrei em uma ou outra equipe, mas quase não joguei. Até que comecei no Boavista no início do ano. Faz um tempo que é oficial, mas assinei o contrato desses dias. Faço parte dos atletas fundadores do clube, e só posso dizer que o Boavista está focado em valorizar seu time e o Pro Clubs. Assinar um contrato com um clube de futebol é um sonho antigo, sempre quis ser jogador de futebol mas como muitos no Brasil, esse sonho nem sempre é possível  – afirmou.

Antes de chegar ao Boavista, Renato fez carreira pelos times de Pro Clubs do Brasil. Ele criou um time com amigos, o Galáticos BR FC e defendeu a Seleção Brasileira no FIFA 14, como meia. Depois, então, virou atacante e passou por Liga CE, FIFAMANIA News, Fuleiros e Fuleragi. Ganhou o Catarinense do Super FIFA e a Liga de Acesso da LBPC, sendo artilheiro em ambas.

Desde que os jogos de futebol virtual evoluíram que sonhava com o dia em que teríamos 11 contra 11 online. Infelizmente só descobri o Pro Clubs tarde, quando ia comprar o PS4. Comecei indo a um fórum, encontrei um time e joguei com eles. Mas tudo era muito amador, só para brincar mesmo. Depois, descobri que havia toda essa organização, diversas competições, e então criei um clube com dois amigos – lembrou.

No Brasil, somente o Atlético-PR tem uma equipe oficial de Pro Clubs. Além da torcida do São Paulo, a Dragões da Real, sobre a qual falamos na nossa última matéria. Mas, segundo apurou a equipe do Meu PS4, há um grande clube, da Primeira Divisão, que está negociando com um dos grandes times do cenário do Pro para representá-lo nas próximas competições.

Copa Havok

E para movimentar este cenário, a Confederação Brasileira de Futebol Virtual (CBFV) irá realizar, em parceria com a HavoK, a Copa Havok, na gaming house da empresa, localizada em São Paulo. Uma competição presencial que irá reunir alguns dos mais conceituados times do Pro Clubs. HooSIER, Dragões da Real, Wolves e FIFA Bahia. Além deles, dois times se classificarão para o evento por meio de torneios online.

Pra mim é o início de um desafio gigante. Mas que já passou da hora de ser testado. Hoje temos a oportunidade de, através de parceiros como a VIA HAVOK, de ter todo suporte possível e fazer nosso laboratório, para tentar tornar isso uma realidade já pro FIFA 18 – afirma Rafael Bodas, presidente do HooSIEr e diretor de marketing da CBFV.

A competição acontece em 27 de agosto na Rua Frei Caneca, 558 – 23º andar – Via Havok. As equipes serão divididas em duas chaves de três times cada. Os melhores de cada chave vão pra final. O evento será aberto para a torcida. São só 200 ingressos à venda, por R$ 35 cada. Jogadores de equipes cadastradas na CBFV pagam R$ 25.

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol? A pergunta da clássica música do grupo Skank é perfeita para descrever o sucesso que o modo Pro Clubs do FIFA 17 vem fazendo no Brasil. Afinal, somos o país do futebol, mas nem todos os apaixonados pelo esporte alcançaram o objetivo de se dedicar a ele profissionalmente. Os campos virtuais, então, são uma alternativa.

Ganhar títulos, ser o artilheiro, ter seu nome na lista da convocação para a Seleção… Tudo isso se torna possível com só um controle na mão. Sem chuteira, caneleira, meião e, principalmente, preparo físico invejável. Mas não pense que isso torna a tarefa fácil. Tem peneira, treino todo dia e jogos tarde da noite. Sem falar na disputa acirrada por posições.

Nos próximos dias, vamos trazer para os leitores do Meu PS4 um panorama completo do cenário deste modo de jogo no país. São mais de 800 clubes e 15 mil jogadores espalhados em diversas confederações, que organizam campeonatos, copas, corujões e têm até parceiras com federações de outros países para disputar torneios continentais e globais. Fique ligado!