NBA Live 19 não empolga em DEMO focada no The One

Apesar de pontos positivos, demonstração parece "mais do mesmo" em relação ao NBA Live 18.

NBA Live 19

Infelizmente, a demo de NBA Live 19 não foi um daqueles testes que fazem você entrar na hype do jogo e querer comprá-lo logo depois. Pelo contrário. É somente mais um dos vários casos de jogos de esporte que muita gente diz que “todo ano parecem ser mais um DLC do anterior”. Abaixo, você confere nossa análise em vídeo no YouTube.

Claro que NBA Live 19 tem novidades em relação ao NBA Live 18 – como poucas melhorias na jogabilidade, que ficou mais fluída, e até a inclusão das mulheres no modo carreira, que é o grande foco da demo. Porém, à primeira vista, ele é só um NBA Live 18 em uma versão “tunada”.

Na E3 2018, testamos o game e já tínhamos ficado com essa impressão. Só que lá nós jogamos apenas uma partida “comum” da NBA, entre Cleveland Cavaliers e Golden State Warriors, além de um duelo de 3×3 na quadra de streetball do Rio de Janeiro. E a demo nos deu a oportunidade de avaliar mais agora.

Depois de jogar incontáveis partidas entre Boston Celtics e Golden State Warriors na NBA e Los Angeles Sparks e Minnesota Lynx na WNBA, foi possível notar um jogo muito parecido com o anterior. Claro, há animações e movimentos novos e a partida flui de um jeito correto, mas ainda há pontos a evoluir.

O foco, no entanto, é mesmo no The One, com partidas, loot boxes (muitas loot boxes), personalização, escaneamento de rosto com app no celular, eventos ao vivo na Internet, etc. Só que tudo é muito igual ao NBA Live 18 – exceto a opção de criar uma jogadora e não somente homens. Confira abaixo uma partida toda desse modo na quadra do Rio de Janeiro.

No visual, o jogo está um pouco mais real do que o do ano passado, entretanto ainda fica aquém do seu rival NBA 2K. O mesmo vale para a jogabilidade, que melhora bastante na parte de timing de pulos e animações de jogadas de contato, como os tocos – só que eles agora estão muito intensos; parece NBA Jam.

As roubadas de bola, por outro lado, seguem muito esquisitas, especialmente se você não consegue acertar, porque fica totalmente vendido. Também incomoda a forma meio robotizada como alguns jogadores se movem, além do visual da parte física deles. As faces estão bacanas, mas os corpos nem tanto.

Os controles estão bem intuitivos, o ataque flui mais naturalmente e há algumas adições ao The One, como você ter cartas de jogadores para montar seus times quando for disputar torneios de streetball, que são bem interessantes. Por outro lado, os jogos online incomodam pelo lag, normal em games “americanos”.

Jogo está mais realista, porém ainda não é perfeito (Foto: Reprodução).

No geral, NBA Live 19 causa primeiras impressões até positivas, porque não é um jogo ruim e é mais um passo para a evolução da série. Só que, pelo menos por essa versão demo, parece ser um passinho menor do que poderia, e até deveria, ser se houver um desejo real de encarar NBA 2K.x