[#PS4faz5]: Palavra dos “devs” – como é trabalhar com o PlayStation 4

Os criadores de games também amam o console (e a Sony); confira os motivos para isso

A gente sabe que o PlayStation 4 é ótimo para jogar, mas e para trabalhar? Nesse último episódio do especial #PS4faz5, na exata data em que o console comemora o seu quinto aniversário, quem entra em foco são os desenvolvedores.

Como é fazer um jogo para as milhões de pessoas que têm um PS4? Como é o relacionamento com a Sony?

O Meu PS4 ouviu Cory Barlog, diretor de God of War, Luis Villegas, produtor de Destiny na Bungie, Jay Puryer, de Call of Duty, e Guillaume de Fondaumière, de Detroit Become Human, sobre isso. E uma frase de Cory é a que mais merece destaque.

“A Sony é uma grande dor no traseiro”, disse.

É claro que é uma brincadeira! Segundo ele, trabalhar com a Sony é excelente porque, com ela, é possível ter um processo criativo sólido sem preocupações e pressões.

“É maravilhoso. Trabalhei com muitos developers, muitas publishers, mas eu voltei para a Sony pela forma com a qual eles lidam com o processo criativo. Eles respeitam muito isso e te dão todo o espaço possível enquanto você está entregando o que foi combinado, e até  mesmo que você não esteja tão bem assim por algum motivo”, contou.

Guillaume de Fondaumière concorda. Inclusive, a experiência dele com Detroit: Become Human, um jogo que toca em temas tão polêmicos, é uma prova disso.

“Nós temos muita liberdade com a Sony. Eles não fazem imposições e nos ajudam a provar que jogos assim podem ser relevantes. Para muitas pessoas, os assuntos que estamos tratando não deveriam estar em jogos, porque acham que jogos são só tiros, pulos, etc. Mas acho que os games evoluíram, a mídia está madura o bastante para tratar disso, e claro que fizemos tudo com sensibilidade, mas não fizemos nada com muita leveza, porque achamos que os jogadores estão prontos para isso”, comentou.

Barlog, inclusive, não se vê fazendo jogos em outros lugares. Fora a parte profissional, como gamer, ele também é só elogios ao PlayStation 4.

“Eles sabem que o caminho para a grandeza é duro. Cheio de incertezas. E a Sony teve sempre muita fé em mim, sempre serei grato por isso, e não quero fazer jogos em outro lugar. Sem falar que o PS4 é uma grande plataforma também. Ele é ótimo, um dos meus consoles favoritos”, completou.

“Parceira tão apaixonada quanto você”

Os casos de Cory e Guillaume mostram o lado de quem trabalha com exclusivos do PlayStation 4. Mas e para as empresas third-party? Será que a Sony também dá um suporte assim? Jay Puryer garante que sim.

“O PS4 é uma grande plataforma para nós. Trabalhamos junto com a Sony em múltiplas frentes, desde o próprio desenvolvimento do jogo, com conteúdo extra, até as campanhas de marketing, que sempre são muito fortes com o PlayStation e Call of Duty, e ela é uma grande parceira”, explicou.

Segundo o desenvolvedor, da Treyarch, essa relação é extremamente positiva não só para os envolvidos na esfera profissional, como, principalmente, para os gamers.

“Saber que você tem um parceiro que é tão apaixonado pelo seu jogo quanto você é sempre um grande benefício. Não só para nós como também para a comunidade”.

Destiny é um dos jogos de desenvolvedoras third-party que mais ofereceu conteúdo de forma exclusiva para jogadores do PlayStation 4. Mapas, itens, lançamentos antecipados e até mesmo Destiny 2 como jogo grátis da PlayStation Plus. Tudo isso graças ao ótimo relacionamento com a Sony.

“Estamos sempre compromissados em fazer Destiny render o melhor que puder em todas as plataformas, mas temos um acordo com a Sony de conteúdo extra, que dá algumas coisas a mais para eles, lançamos o Destiny 2 na PlayStation Plus gratuitamente recentemente, então temos um relacionamento muito legal”, contou Luis Villegas.

Parabéns, PlayStation 4!

Com esses insights de alguns importantes nomes da indústria, o Meu PS4 encerra o especial #PS4faz5 desejando os parabéns à Sony e ao PlayStation 4 por toda essa repercussão positiva no mercado ao longo dos últimos cinco anos. O sucesso que o console faz, certamente, não é à toa.

Ele conquistou imprensa, desenvolvedores e, principalmente, claro, os jogadores. Nós esperamos que vocês tenham curtido relembrar um pouco dessa história e ler o que nossa equipe, alguns leitores e os produtores de games tinham para falar sobre essa parte tão importante das vidas de dezenas de milhões de pessoas no mundo.

Não sabemos ainda quantas primaveras mais vamos comemorar com o PlayStation 4 como principal videogame do mundo, mas temos certeza de que novas memórias irão juntar-se às ótimas lembranças que já temos dele. O PS4 já está na história, e nós do Meu PS4 estamos muito felizes de acompanhar tudo isso de perto com vocês.

Confira todos os artigos do especial #PS4faz5: