Foi uma experiência bem curta, de pouco mais de 20 minutos, mas suficiente para deixar impressões bastante positivas a respeito de Final Fantasy VII Remake. Uma demonstração do aguardado game está disponível na Brasil Game Show 2019, e o Meu PS4, é claro, foi experimentar o título.

Nos testes, assumimos o controle direto de Cloud Strife e quase indireto de Barret Wallace. Cloud usa sua espada para desferir ataques muito parecidos com mecânicas hack and slash e Barret pode atirar a boas distâncias.

Final Fantasy VII Remake

Ainda que tenha sido uma jogatina que, obviamente, não irá representar a versão final, já é possível perceber que o Remake vem mesmo para satisfazer aos fãs. Os ataques diretos você é capaz de executar com o botão quadro e as habilidades especiais e magias aparecem através do menu de seleções. O jogo é uma mescla de estilos graciosa.

A Square Enix vem sabendo dosar a jogabilidade de modo que a intensidade das batalhas não percam timing enquanto você executa ações mais cadenciadas, como curar um personagem através das clássicas Hi-Potion. Sem perder o ritmo, você é faz de alternar o controle do personagens apenas tocando um dos gatilhos. Destaque para os ataques Limit, capazes de causar muitos danos com uma plasticidade de dar inveja.

Na experimentação, a trama foi pouquíssimo explorada. Cloud tem de inserir um artefato explosivo em uma instalação, meio que a contra-gosto, mas é forçado por Barret a assumir um dos lados do conflito. Antes de concluir a missão, um Sentinel Scorpion aparece e você tem de derrotá-lo usando todos os seus recursos.

Claro, não tem como não se impressionar com seu visual. O jogo está muito bonito, com modelagem e iluminação dignas dos melhores exclusivos de PlayStation 4. No entanto, é sempre bom manter as expectativas em locais seguros.

A Brasil Game Show vai até domingo (13) e conta com as principais editoras, estúdios e nomes importantes da indústria.

Aproveite para conferir o que já escrevemos além de Final Fantasy VII Remake: