[Testamos na E3 2018] Shadow of the Tomb Raider mantém qualidade

Larinha continua muito bem!

Shadow of the Tomb Raider

Los Angeles (CA) – Se você gostou de Tomb Raider (2013) e Rise of the Tomb Raider, é bem provável que vá curtir Shadow of the Tomb Raider, terceiro capítulo dessa “nova saga” de Lara Croft, mostrando os seus primeiros passos como exploradora. O jogo mantém tudo o que deu certo nos seus antecessores e promete um enredo bem interessante.

Normalmente, Lara é a grande mocinha que chega para acabar com os vilões que exploram determinados lugares em busca de itens sagrados e super valiosos. Só que, dessa vez, ela, mesmo que para se defender dos inimigos, foi quem roubou algo que não deveria. Isso já é algo de conhecimento de todos, pelos trailers que foram divulgados.

Ao jogar, porém, você fica ainda mais curioso para saber o desenrolar da história. Na missão disponibilizada pela Square Enix para testes na E3 2018, Lara faz justamente isso: rouba um tipo de adaga que ela parece não ter noção dos poderes. Tentando evitar que o artefato fosse para “as mãos erradas”, ela o tira do lugar.

O gameplay até essa parte é bem o tradicional dos últimos jogos da série. Escalar, nadar, um quebra-cabeças aqui, outro ali, explorar, quebrar paredes, coletar itens, etc. Depois, também. Você tem que fugir do templo, e aí pode ter um estilo mais furtivo ou então sair tacando flecha adoidado em todo mundo.

Os grandes momentos não foram da jogabilidade, mas sim nas cutscenes. O diálogo de Lara com o suposto vilão, após pegar a adaga, e depois a conversa dela com seu maior companheiro nas aventuras mais recentes, Jonah, são emocionantes e instigantes,. Dá, propositalmente, aquele gostinho de quero mais.

E em uma época onde estamos valorizando cada vez mais as histórias dos jogos, Shadow of the Tomb Raider também parece ir por esse lado. Manter a jogabilidade que deu certo e não precisava de tantos ajustes, e apostar em um enredo envolvente protagonizado pela nossa querida Larinha. Tem tudo para dar certo.