Katsuhiro Harada (via DualSHOCKERS), homem responsável pela série Tekken, através do seu perfil no Twitter, revelou que a Bandai Namco pretende melhorar suas políticas em relação ao cenário competitivo.

Harada será “o líder e supervisor” das estratégias adotadas a fim de integrar os títulos da companhia nas maiores competições de eSports do mundo. Após agradecer aos fãs pelo suporte e feedback, ele garantiu que os novos planos já estão em andamento.

Estamos planejando participar de vários torneios no próximo ano – enquanto continuamos a oferecer suporte aos campeonatos da comunidade. Além disso, estamos dedicados para garantir meios de assistência para atividades da comunidade e torneios no futuro.

As declarações são em resposta a ausência de Dragon Ball FighterZ em diversos campeonatos. Nem Harada, nem a Bandai Namco comentaram especificamente sobre os motivos pelos quais o jogo deixou de ser uma das opções. No entanto, as suspeitas são de que a Toei Animation, detentora dos direitos de Dragon Ball, tenha impedido a inclusão do jogo nas competições, já que ela, supostamente, não estaria ganhando nenhuma contra-partida financeira.

E a história fica ainda mais esquisita quando a própria Toei respondeu a um dos fãs “que não tem nada a ver com isso”:

Nos desculpe, mas não temos conhecimento algum sobre impedir Dragon Ball FighterZ nos torneios.

É bem provável que a resposta oferecida seja um “padrão polido” das relações públicas. Mas, o retrospecto da empresa aponta para um conflito na detenção do direito de exibição, como foi o caso do impedimento da transmissão pública do animê no México. Na ocasião, a animação seria retransmitida para um grande público em um telão, mas a empresa impediu que isso acontecesse.

Dragon Ball FighterZ ainda está listado como participante do evento Combo Breaker. No entanto, já foi revelado que ele não estará presente no EVO Japão em fevereiro, além também da ausência em Super Smash Bros. Ultimate.