Uma das grandes surpresas de 2018 foi a decisão da Sony em aceitar, finalmente, o recurso crossplay para o PlayStation 4. O atual CEO da Epic Games (Fortnite), Tim Sweeney, deu entrevista recente ao periódico The Wall Street Journal, explicando como conseguiu essa “façanha”.

“Foi algo parecido com diplomacia internacional”, ressalta, conforme matéria do site GameSpot. De acordo com o texto, as conversas eram intensas. O executivo destaca que foram seis meses em 2018, entre ligações e e-mails, tentando convencer os chefes das divisões PlayStation e XBox.

“A resistência se dava pela rivalidade desde sempre entre as empresas. Foi uma série de conversas controversas”. Em junho de 2018, Microsoft e Nintendo concordaram em permitir o recurso em seus consoles, mas a Sony se manteve resistente.

Como resolver tal imbróglio? É sabido que “contra números não se discute”. Sweeney comenta que os resultados após a implementação do crossplay mostravam “aumento substancial” no engajamento dos jogadores. E jogadores mais motivados se traduz em aumento de receitas. Com isso, foi “mais fácil’ convencer Sony a permitir o recurso.

Assim, a Sony acabou cedendo, e em setembro de 2018 permitiu o crossplay. Sweeney destaca que este foi um dos maiores momentos da história da Epic Games. E que, ao final do processo, estava “satisfeito, e cansado”.

Dessa forma, hoje, mais e mais títulos já são desenvolvidos com a previsão dessa ferramenta, como o novo Call of Duty: Modern Warfare. Pode-se afirmar, então, que se é possível o PlayStation fazer parte do cross-play, é graças à Epic Games.