Em uma entrevista ao site espanhol AreaJugones (via VG247), o diretor de missões de Cyberpunk 2077, Mateusz Tomaszkiewicz, comentou sobre o processo criativo do game, explicando algumas das mudanças em relação a demonstração da E3 2018, posteriormente divulgada ao público.

De acordo com o desenvolvedor, as alterações foram feitas porque os gameplays revelados não estavam encaixados ainda em uma dinâmica de mundo aberto. Eram fragmentos do jogo apenas. Por isso, a CD Projekt RED precisou adaptar a situação.

Existem, obviamente, várias coisas que ainda não revelamos sobre o jogo, elementos ainda em desenvolvimento. Então, sobre o gameplay, está bastante diferente daquele revelado ano passado, mas ainda existem detalhes em processo de criação.

Estamos polindo tudo e pensando em como torná-lo cada vez mais interessante, com uma jogabilidade bacana. No gameplay da E3 2018, era um fragmento. Ainda não estava inserido e um mundo aberto ou claro de como se encaixaria nesse escopo.

Por fim, o produtor comentou sobre fontes de inspiração para Cyberpunk 2077. Deus Ex foi citado, e não há surpresa alguma nisso, enquanto Vampire Bloodlines foi exaltado como uma forte referência no quesito RPG.

Em resumo, Vampire Bloodlines e Deus Ex são minhas duas maiores inspirações. Um porque é um RPG denso, baseado em gameplay e diálogos. É um exemplo de RPG em primeira pessoa que eu gostei. Deus Ex porque a ideia de cumprir missões de maneiras variadas é incrível, com diversos elementos permitindo diferentes abordagens.