Death Stranding não será para todos os jogadores, pois vai apresentar alguns conceitos que não agradam a todo mundo. Hideo Kojima comparou o ritmo do jogo com o do filme Alien, que “engrena” somente a partir da segunda metade da história. Ou seja, será preciso paciência para explorar as mecânicas e descobrir os segredos deste universo.

Em entrevista ao GameReactor na Tokyo Game Show 2019, o diretor explicou como a experiência tem a sua própria cadência. Como o título estreia um gênero inédito, então os jogadores vão descobrindo “as regras do jogo” aos poucos, desde o zero.

Algumas pessoas dizem que é como o filme Alien, descobrindo gradualmente sobre o que mundo se trata, o que se pode ou não fazer. Talvez fique divertido somente ao completar 50% do jogo.

O jogador, nos shooters e outros gêneros, entra no game com um conhecimento sobre a ideia geral. Eu não queria ter esse sentimento. Todos deveriam começar do zero, do verdadeiro início. Não sabendo como pegar o controle e jogar o game. O que eu mostrei talvez seja enigmático, mas tudo faz sentido quando está no mundo do jogo.

As mecânicas de jogabilidade de Death Stranding não serão comuns às experiências prévias dos jogadores, por isso o diretor enfatiza a necessidade de desvendar o universo aos poucos. No último gameplay revelado durante a TGS 2019, Kojima apresentou como acontece a interação com o protagonista e o processo de preparação para a aventura.

Gameplay de Death Stranding em inglês

O site norte-americano IGN legendou o gameplay de 49 minutos do game revelado na primeira sessão da Tokyo Game Show 2019. Quem tem um certo domínio da língua inglesa poderá ter uma noção melhor dos diálogos e outros elementos do título. Por exemplo, o “leão” que Sam enfrenta é chamado de Catcher, e é uma das bestas mais fracas do jogo.

Confira o gameplay: