Dying Light 2 vem fazendo uma participação bem modesta na E3 2019. Mas isso não significa que o título tenha pretensões limitadas, muito longe disso. O novo projeto da Techland promete oferecer aos jogadores uma experiência repleta de possibilidades.

A variedade será tamanha que uma “primeira jogatina” não será o suficiente para se conhecer o game completo. De acordo com os desenvolvedores, apenas cerca de 50% do jogo poderá ser visto da primeira vez.

A ideia é oferecer possibilidades variadas de abordagem. E cada caminho escolhido vai desencadear uma série de outros eventos. Em razão de tantas ramificações, os jogadores serão encorajados a jogarem mais e mais. Isso se quiserem conhecer tudo do game.

O site GameRant explica como isso se reflete na prática. O portal participou de uma demonstração do título, nela o personagem está diante de uma usina de água, quando um dos personagens é baleado. Neste momento os jogadores tem duas opções visíveis: perseguir o atirador, deixando o baleado à própria sorte ou ficar e tentar ajudá-lo. Os resultados da escolha resultarão em caminhos diferentes.

Na verdade o jogo oferecerá opções a todo instante. Na mesma situação acima: caso os jogadores alcancem o algoz eles poderão: tomá-lo como refém ou usá-lo para acessar uma determinada área. Desencadeando outros novos ramos.

Dying Light 2 deve chegar ao PlayStation 4, Xbox One e PC na primavera de 2020 – algo entre março e junho, no hemisfério sul.