Os E-Sports podem mesmo chegar aos Jogos Olímpicos em breve. A aproximação mais recente entre ambos vem de uma competição da Intel. A “Intel World Open” vai sediar torneios de Street Fighter V e Rocket League em Tóquio, e servirá como uma forma de divulgação dos Jogos de 2020.

A “Intel World Open” premiará os vencedores de cada game com a bagatela de US$ 250 mil. O diretor de negócios da multinacional explicou que tanto Street Fighter V, quanto Rocket League foram escolhidos por serem títulos fáceis de se acompanhar para espectadores casuais. O legado do game de luta no Japão também foi levado em consideração, segundo Mark Subotnick.

Qualificatórias online serão disputadas para que as seleções nacionais sejam convocadas. Depois, um evento final de classificação acontecerá na Polônia em junho do ano que vem. Por fim, virão as finais em Tóquio, dias antes dos Jogos Olímpicos (estes começam em 24 de julho de 2020).

Aceitação dos E-Sports vem crescendo

A jornada dos E-Sports dentro do cenário esportivo não vem sendo fácil. Mas isso não quer dizer que a aceitação não vem crescendo. Os esportes eletrônicos já estarão nos Jogos Asiáticos de 2022. Além disso, a edição de 2018 na Indonésia premiou com “medalhas não-oficiais” competidores de League of Legends, Hearthstone e Starcraft II.

No entanto, o presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional) não parece muito inclinado a ver essa união. Em 2017, ele disse a um jornal chinês que videogames são “sobre violência”, o que não casa com o espírito dos Jogos.

Queremos promover a não-descriminação, não-violência e paz com as pessoas. Isto não combina com videogames, que são sobre violência, explosões e matança. Então temos que desenhar uma linha entre uma coisa e outra.

Por outro lado, há menos de um ano, o próprio COI fez uma parceria com a Intel para o IEM Pyongchang, torneio de Stacraft II na Coreia do Sul sediado uma semana antes dos Jogos Olímpicos de Inverno. Após o campeonato, um diretor de marketing do comitê afirmou que eles iriam “explorar e-sports com o movimento olímpico mais adiante”.

Para os Jogos de Tóquio, todavia, não há chance de vermos o Brasil ganhando medalhas com videogames. As modalidades já foram anunciadas há um bom tempo, deixando de fora os games. A esperança fica para Paris-2024, quem sabe?