A BioWare explicou que a criação de Anthem foi uma decisão interna do próprio estúdio, sendo que a Electronic Arts não “forçou” o desenvolvimento. Rumores sugeriam que a editora desejava criar um jogo de serviço focado no multiplayer com elementos de shooter, até mesmo com uma temática semelhante a Mass Effect Andromeda. No entanto, o desenvolvimento do jogo iniciou quando a BioWare aceitou o desafio.

Em uma entrevista ao Game Informer (via IGN), o diretor criativo do jogo, James Ohlen, comentou mais sobre o assunto e como o processo de criação começou.

Eu penso que uma das coisas que a BioWare é muito boa, o que permitiu que ela sobrevivesse ao longo dessas décadas, é assumir riscos e tentar coisas novas e diferentes. [Anthem] é uma chance de realizar algo diferente. A BioWare sempre teve o controle dos jogos que produziu. Eu penso que a EA considera o estúdio como uma parceira a longo prazo, mas mesmo que não seja isso, eu não acredito que seja o fim da BioWare.

Mais de Anthem

A BioWare acredita que a indústria, em geral, está tomando rumos na criação de jogos duradouros, com mundos vivos, e a BioWare deseja expandir o relacionamento com os jogadores através de um produto como Anthem. “O que nós realmente queremos fazer com Anthem é explorar novos jeitos de jogar. Olhando para trás, comparamos Mass Effect 2 e Baldur’s Gate que possuem características diferentes, e Anthem parece algo a parte, mas juntando as peças se encaixam perfeitamente.”

O produtor executivo, Mark Darrah, revelou que as proporções que o game vêm tomando chega a assustar. É a maior equipe da BioWare e é o maior projeto da empresa. Por outro lado, Mike revela que é preciso foco para criar algo ainda mais ambicioso que o Mass Effect: Andromeda, por exemplo. “Trata-se de ter certeza daquilo que estamos querendo criar e as histórias que queremos contar.”