EA volta a defender protagonismo feminino em Battlefield V

"Aceitem ou não comprem o jogo"

Fonte: divulgação.

Battlefield V atraiu polêmica e muitos comentários nas redes sociais por conta da possibilidade de se jogar com personagens femininas em plena Segunda Guerra Mundial, além de incluir uma mulher na capa do jogo.

Pouco tempo após o anúncio e as primeiras revelações sobre Battlefield V, alguns fãs mais exaltados resolveram expor suas indignações mais incisivamente através da hashgtag #NotMyBattlefield (“não é meu Battlefield”) no Twitter.

Depois de a DICE afirmar que “personagens femininas vieram para ficar” em Battlefield V, foi a vez de Patrick Södurland, diretor criativo da Electronic Arts, colocar mais alguns “pingos nos is” desta história em uma entrevista ao GamaSutra durante a E3 2018.

Södurland comentou que a inclusão de mulheres foi algo que partiu da própria equipe de desenvolvimento do jogo. O diretor também esclareceu que a polêmica com a presença das mulheres se deve ao fato de “existir uma percepção comum errônea de que mulheres não foram à Segunda Guerra Mundial“.

Quando questionado sobre as pessoas que se dizem “indignadas” com o destaque dado às personagens femininas, Södurland foi enfático:

“Estas pessoas são ignorantes. Elas não entendem que este é um cenário plausível. E escutem: isto é um jogo. E hoje os jogos são diversificados em relação ao gênero de uma forma que nunca foram. Há muitas jogadoras por aí que querem jogar e homens que querem jogar como uma mulher destemida. Nós não ligamos para críticas que não sejam construtivas. Nós apoiamos esta causa e eu acho que estas pessoas não entenderam as cosias direito ainda”.

A mensagem final do diretor para os críticos de plantão é direta:

“Vocês tem duas opções: aceitem ou não comprem o jogo”.

Qual é a sua opinião sobre a presença das personagens femininas em Battlefield V? O game chega ao PlayStation 4 em 19 de outubro e já está em pré-venda na PS Store por R$ 209.