Os jogos violentos abrangem discussões das mais variadas possíveis. Apesar dos debates sobre os impactos do gênero na vida dos gamers, ainda existem muitos questionamentos sobre o tema. E claro que o “Estado” ia querer tentar se aproveitar disso.

Na Pennsylvania, nos Estados Unidos, um projeto chamado de “sin tax”, quer aplicar um acréscimo de 10% de impostos nos jogos classificados pela ESRB como Mature ou Adults-Only. A arrecadação seria, supostamente, revertida ao “Digital Protection for School Safety”, órgão que promove segurança nas escolas.

O deputado Christopher B. Quinn (partido Republicano) acredita que o aumento da violência nas escolas está, de alguma forma, atrelada aos jogos de videogame mais maduros. Sua ideia se argumenta em uma vaga declaração National Center for Health Research.

E claro que o assunto gerou polêmica. Chris Ferguson, professor de psicologia e justiça criminal na Texas A & M University, realizou um estudo sobre violência em videogames e concluiu que não existem evidências que relacionem os elementos.

Não há provas claras de que os videogames ou outras mídias contribuam, mesmo de maneira pequena, com homicídios em massa ou quaisquer outras violências entre os jovens. Na verdade, durante os anos em que os videogames dispararam em popularidade, a violência juvenil caiu em uma perspectiva de 40 anos. É natural que, em momentos emocionais, as pessoas procurem desesperadamente por respostas, e isso gera em desinformação.

Por enquanto, a proposta foi encaminhada ao Comitê de Finanças da Câmara dos Representantes da Pennsylvania e pode ser levada à votação em qualquer momento. Caso seja a aprovada, o novo imposto certamente fará com que determinados jogos fiquem mais caros no estado norte-americano.

Já pensou se a moda pega?