A imposição de tarifas sobre eletrônicos fabricados na China foi adiada pelos Estados Unidos. Para prevenir que os lojistas norte-americanos fossem impactados, o governo de Donald Trump preferiu esperar até 15 de dezembro de 2019 para que as medidas sejam adotadas.

Trump foi a público para explicar melhor o porquê da decisão. Segundo ele, as vendas de fim de ano poderiam ser prejudicas em razão de novas taxas.

“O que fizemos foi adiar (a medida) para que ela não seja relevante na época de Natal. Para prevenir que pudesse ter um impacto nas pessoas”.

Como parte do adiamento, uma lista de isenção de produtos foi lançada pela USTR (Representante de Trocas dos EUA). O órgão mencionou que taxas em alguns produtos serão dispensadas baseadas em “saúde, segurança, segurança nacional e outros fatores”.

Tais tarifas, se realmente confirmadas em dezembro, podem elevar em até 25% o preço dos videogames no território norte-americano, impactando diretamente outros territórios como o Brasil.

A notícia para os bolsos dos gamers já seria naturalmente ruim, mas se os videogames de next-gen realmente chegarem em 2020, ela se tornará pior. Portanto, só nos resta esperar para saber a administração de Donald Trump realmente confirmará as tarifas no fim do ano.

Trump culpa videogames por massacres

Donald Trump não anda de bem com os videogames. O presidente dos EUA usou os consoles como justificativa para o tiroteio em Dayton, Ohio que deixou 10 mortos no último dia 4.

“Precisamos parar de exaltar a violência em nossa sociedade e isso inclui os horríveis e infelizes games brutais, o que são comuns em nosso meio. É muito fácil os jovens estarem rodeados desta cultura agressiva e é uma urgência lidar com isso. Doenças mentais e ódio puxam o gatilho, não a arma.”