O Ultimate Team é um dos modos mais importantes (talvez o principal deles) dentro do FIFA. Coletar cartas de jogadores e montar o seu próprio elenco para disputar partidas contra outros times tornou-se uma ‘febre’ dentro da série.

A popularidade, aliada ao sistema de compras in-game, fez com que a opção se transformasse na principal fonte de ganhos do game. No entanto, os últimos relatórios não mostram os números vistosos de outrora. As receitas do UT (FIFA e Madden) registraram queda de cerca de 24%, quando comparados com o mesmo período do ano passado.

Os dados coletados são da análise do mercado da SuperData (via PlayStastion LifeStyle) referente ao mês de novembro de 2018. Jogos que ofereceram alguma espécie de monetização como serviço, exemplo de Destiny 2 e Rainbow Six Siege, sofreram um declínio.

Ainda que os jogos da EA tenham registrado um acréscimo de 1% no mês, quando comparado com o último ano, que registrou um acréscimo de 25%, os dados deste ano se mostram aquém do previsto.

A empresa responsável pela coleta de dados não entrou em detalhes sobre os motivos que podem ter desencadeado as quedas, mas não é difícil considerar que outros nomes como Call of Duty: Black Ops 4 e Red Dead Redemption, campeões de vendas do ano, tenham impactado no FIFA 19.