A mídia física ainda vive, mesmo em uma era quase inteiramente digital. Apesar dos antigos rumores apontarem o abandono dos “jogos na caixinha”, a Sony confirmou a presença da mídia física no PS5. Assim como muitos jogadores, a GameStop celebra a continuidade do formato.

Em entrevista ao GameSpot, o chefe de Customer Office da varejista, Frank Hamlim, destacou a importância das empresas oferecerem opções para os consumidores. Mesmo com a constante popularização do conteúdo digital, a comunidade ainda possui uma parcela mais “tradicional”.

Tanto a Microsoft quanto a Sony precisam oferecer opções aos consumidores. Nós queremos ser capazes de ajudar nossos clientes na venda de jogos físicos quando eles quiserem. O produto é quase um colecionável. Eles gostam de deixar à mostra na estante. Esse tipo de experiência também é importante. Acredito que, se as empresas não oferecessem algo assim, elas seriam ingênuas.

Mais sobre a mídia física no PS5

Apesar da praticidade da mídia digital, Hamlim ressaltou um ponto superior do conteúdo físico: o gerenciamento de espaço. Enquanto os jogos possuem um tamanho cada vez maior, os discos dão a possibilidade de excluir o jogo e não ter que esperar pelo download do arquivo novamente. Então, para ele, este tipo de formato ainda tem seu espaço garantido.

Contudo, há também quem discorde. Segundo Yves Guillemot, o CEO da Ubisoft, os consoles serão substituídos por serviços baseados em streaming, como já acontece com música, séries e filmes. O CEO da Ubi acredita que isto pode acontecer em um futuro próximo, e as empresas já estariam investindo neste tipo de tecnologia para daqui no máximo duas gerações.

No Brasil, a comunidade segue a mesma preferência pelos jogos na caixinha, como é em grande parte do mundo. Quando foi confirmada a mídia física no PS5, a Sony ressaltou justamente a importância de oferecer escolhas ao jogador. Por isso, o novo hardware apostará também em mais outros dois formatos: o digital e o streaming.

E você? Qual dos formatos você prefere?