A PlayStation anunciou que Hermen Hulst, co-fundador e diretor da Guerrilla Games, é o novo chefe da Worldwide Studios. Ele começa a trabalhar no cargo imediatamente, e será o líder de desenvolvimento de jogos de toda a Sony, através de seus 14 estúdios.

Enquanto isso, uma figura conhecida dentro da Sony, Shuhei Yoshida, vai deixar de ser presidente para se dedicar à outra área: ele vai liderar uma equipe que cuidará de títulos independentes de estúdios menores.

O CEO da divisão PlayStation, Jim Ryan, comentou um pouco sobre as mudanças. Ele elogiou Hulst, quem considera uma pessoa muito efetiva no que faz. A entrevista foi concedida ao Games Industry.

Hermen é europeu e tomará conta de um dos maiores escritórios da PlayStation. Acho que todos na Europa devem estar emocionados e felizes que isto está acontecendo. Hermen é um dos mais eficientes e bem-conceituados líderes na indústria dos games. Ele é um defensor apaixonado pelas equipes que dirige e entende como empoderar talento criativo para construir grandes experiências. Não tenho dúvidas que Hermen pode liderar nossas equipes para entregar experiências convincentes e diversas.

A nomeação de Hulst para o cargo vem em boa hora. A Guerrilla Games é um dos principais estúdios da Sony, sendo responsável por produzir títulos como Horizon Zero Dawn e Killzone. Além disso, a desenvolvedora deu bela assistência à Kojima Productions na criação de Death Stranding. Para substituir Hulst, três pessoas trabalharão juntas na Guerrilla: Angie Smets, Jan-Bart van Beek e Michiel van der Leeuw.

O novo chefe da Worldwide Studios também deu algumas palavras sobre a novidade. Sem economizar nos elogios, ele disse respeitar e admirar toda a família da PlayStation.

Eu trabalhei de perto com a PlayStation e toda a família da Worldwide Studios desde 2001, e eu tenho o máximo respeito e admiração pelo talento criativo e ideias ambiciosas da rede de estúdios através dos EUA, Europa e Japão.

Jim Ryan também explicou a mudança de posição de Shuhei Yoshida. O japonês é apaixonado por games independentes, e não havia ninguém melhor do que ele para cuidar desta área.

Todos sabem o quão ‘Shu’ é apaixonado por games independentes – eles são vitais para a indústria, fazendo nosso portfólio muito especial para os gamers. Estas experiências criativas merecem foco, e um campeão como Shu vai assegurar que toda a organização SIE trabalhe para se engajar melhor com os desenvolvedores independentes, com uma cultura de suporte e celebração das contribuições deles para as plataformas PlayStation.

As notícias também parecem promissoras para os estúdios indies. No último ano, muitos produtores independentes expressaram descontentamento com a Sony (via Games Industry), que parecia recuar nesta área. No entanto, Ryan insiste que títulos com baixo orçamento sempre foram importantes para a empresa.

Eu ouço muito isso. Não achamos que é uma questão de ‘voltar ao indie’, porque sentimos que nunca o deixamos. Eu quero lembrar a quantidade de engajamento que a PlayStation fez com esta comunidade entre os últimos três e cinco anos no VR. As pessoas tendem a se esquecerem disso, mas a quantidade de engajamento indie com o VR é muito significativa. Estamos ativos com eles, estamos engajados com produto humano, estamos financiando, compartilhando experiências para que as pessoas conheçam o VR.

Com tamanhas mudanças, a Sony parece continuar o processo de renovação. Vale lembrar que há um mês, Shawn Layden deixou a posição de presidente da Worldwide Studios.