O próprio diretor de Death Stranding ainda não entendeu completamente sua criação. Em entrevista ao Financial Times, Hideo Kojima diz que seu jogo tem a missão de criar um gênero inédito.

Death Stranding… Mesmo agora, eu não entendo o jogo. É uma perspectiva de mundo e gameplay totalmente inéditos. Minha missão é criar um gênero que não existe e que pega todos de surpresa. Naturalmente, existe um risco nisso.

Kojima ainda oferece sua visão sobre as diferenças entre os públicos (jogadores vs. cinéfilos):“existem histórias contadas no cinema que a minha geração pode ter achado surpreendente, mas isso pode não acontecer com os gamers”.

Se você pegar uma banana e nomeá-la como “maçã”, então funciona como arte. Mas isso não se aplica aos jogos. Estamos fazendo coisas que precisam ser interativas. Uma banana precisa ser comestível após tirar a casca. Carros precisam ser dirigíveis. Para os jogos serem interativos e entregarem um conteúdo aprovado, é preciso que haja realidade onde estão as pessoas que trabalham nos bastidores.

Confusa ou não, as ideias do diretor pop-star vem gerando boas expectativas nos jogadores. O lançamento está marcado para 08 de novembro.

Death Stranding na TGS 2019

Entre os dias 12 e 15 de setembro, a Tokyo Game Show 2019 contará com novidades de Death Stranding. O game vai ter painéis em três dias com participação de Kojima e de parte do elenco de dublagem japonesa.

As sessões de gameplay programadas para a feira serão de quase 2 horas de conteúdos no total.