Marvel’s Spider-Man dá aos jogadores uma sensação gostosa de passear pelos prédios de Nova York, “voando” pelas teias do herói. Mas para você aproveitar essa jogabilidade tão aclamada, muita gente trabalhou por bastante tempo. Foram “dois ou três anos” até que a mecânica estivesse perfeitinha do jeito que conhecemos.

Ryan Smith, diretor do título, falou sobre o longo processo durante palestra na Gamelab Barcelona 2019. Segundo ele, essa foi a primeira parte de desenvolvimento, de fato, do jogo. O time quis começar justamente pela movimentação – que é tão característica do Homem-Aranha. Por isso, foi necessário trabalhar tanto.

E a tarefa não era nada fácil. Afinal, não dava para simplesmente usar regras básicas da física. Caso a movimentação fosse totalmente realista, o Cabeça de Teia, ocasionalmente, bateria em um prédio, por exemplo. Sem falar que há diversos momentos com curvas e até mesmo os movimentos dele subindo os prédios correndo.

“Conseguir fazer essas transições, as mudanças entre pulos e os swings de teia normais não é fácil. Foi um game changer pra nós. Adicionamos câmeras expressivas para que o jogador se sentisse como o Homem-Aranha nesses momentos tão característicos. E tudo isso foi desenvolvido em dois ou três anos pela nossa equipe”, disse Smith (via PlayStation LifeStyle).

Marvel’s Spider-Man: recomendado!

Um dos jogos mais aclamados (e vendidos) da nova geração, o exclusivo da Sony recebeu nota 9 na análise do Meu PS4. Marvel’s Spider-Man, da Insomniac Games, brilha por ter um Homem-Aranha cheio de personalidade.

São várias opções de customização, além de um gameplay fluido em uma Nova Iorque de mundo aberto repleta de vilões. Os gráficos impressionam e o enredo, que é recheado de twists, também é digno de elogios.

Se você ainda não jogou, está perdendo. E para quem jogou, valeu a pena o trabalho de três anos de desenvolvimento do movimento das teias, não é mesmo?