A retrocompatibilidade, enfim, pode chegar aos consoles da Sony com o PlayStation 5. Recurso (muito) pedido pela comunidade há alguns anos, a possibilidade de jogar games de plataformas anteriores em uma atual seria, certamente, uma adição incrível. E o registro de uma patente da Sony Interactive Entertainment pode indicar que estamos perto de ver o sonho virar realidade.

O documento, registrado no Japão, indica um método que permite que o dispositivo confira se uma aplicação é “legada” ou não. Caso seja, o aparelho cria uma CPU ID “fake”, inspirada nas características do produto original onde ela rodava antigamente, permitindo, portanto, que o conteúdo funciona também no novo gadget.

Um exemplo: o seu PlayStation 5 analisa o jogo Uncharted 3, do PlayStation 3, identifica que ele é um game “legado” e então cria uma ID para “se transformar em um PS3” e poder rodá-lo. Sem ter que usar o PlayStation Now, que é o serviço que revive jogos clássicos no PS4 atualmente.

Não há nenhuma confirmação de que essa tecnologia vai ser usada no PS5 ou em algum outro produto da Sony, já que diversas patentes são criadas e registradas, mas nunca saem do papel. De qualquer forma, faz total sentido criar uma tecnologia com essas características pensando em adicionar a retrocompatibilidade ao PlayStation 5.

Especialmente porque quem inventou o tal método foi Mark Cerny, um dos principais responsáveis pela arquitetura do PS4. Não sabemos ainda se ele faz parte do time do próximo console da Sony, mas que faria total sentido, certamente faria.

E você, o que acha? Quer um PS5 retrocompatível?