O Grupo NPD, empresa responsável por análise de mercado, constatou em levantamento recente que os consumidores gastaram cerca de US$ 641 milhões no mês de maio em produtos relacionados a video games. Apesar de ser uma cifra impressionante, este número é 11% menor que o mesmo período do ano passado.

Separando por áreas, percebe-se que a queda na venda de hardware foi maior que as outras áreas, aproximadamente 20%. Já a parte de software teve uma queda de 13%, ao passo que a comercialização de acessórios e gift cards mantiveram-se estáveis, apesentando crescimento na ordem de US$ 1 milhão em vendas.

De acordo com Mat Piscatella, um dos analistas do grupo NPD, a queda nas vendas de software e hardware contribuíram para a queda geral no desempenho da indústria. Até o mês de junho, no entanto, a diferença é menor: cerca de 3% entre este e os seis primeiros meses de 2018. Os valores em 2019 somam US$ 4.7 bilhões.

Próxima geração e calendário fraco influenciam vendas

Conforme destaca o site Venture Beat, uma das razões para o declínio acentuado nas receitas é a proximidade do fim desta geração. Com o lançamento dos novos consoles se aproximando, os consumidores preferem poupar para investir em equipamentos mais modernos. Especialmente após a confirmação da retrocompatibilidade ser tão divulgada.

Adicionalmente, o crescimento constatado na venda de cartões e acessórios para video games vem da popularidade dos jogos free-to-play e competitivos. Aqueles encorajam jogadores a realizar microtransações, ao passo que estes instigam o investimento em equipamentos (headsets, controles profissionais) mais robustos.

Por fim, a empresa destaca que o mês de junho foi fraco também para a venda de jogos, em parte pelos parcos lançamentos do mês. Tanto que os dois primeiros jogos mais vendidos, apurados pela NPD Group (Mortal Kombat 11 e Days Gone) são de maio. Isso evidencia a franqueza do calendário neste mês.