Depois do surpreendente I Am Setsuna, de 2016, a Tokyo RPG Factory está de volta e pretende arrebatar novamente com seu mais novo projeto: Lost Sphear.

Com uma belíssima arte, que já chamava atenção quando foi anunciado, o jogo que também será publicado pela Square Enix continua surpreendendo a cada novo trailer e imagens reveladas.

Atraindo os saudosistas pelo seu visual e características cheias de referência aos RPGs clássicos de 8 e 16-bits, Lost Sphear agora também encanta com seu enredo intimista.

Seu mais novo trailer mostra um pouco da jogabilidade do título, algo de exploração e foca muito na história que envolve memórias e a reconstrução do mundo; assista:

Restaurando o Mundo

O belo trailer de Lost Sphear conta um pouco da história que envolve seu mundo. A princípio, tudo foi se apagando aos poucos e cabe a nós, controlando Kanata e seus amigos, a tarefa de restaurá-lo através de memórias.

Quando um poder assombroso ameaça a fábrica da realidade, Kanata e seus amigos devem restaurar o mundo que está desaparecendo ao redor deles para que este não seja esquecido

Além da história envolvente, o trailer também faz bom uso da trilha sonora, aspecto tão importante e essencial para o desenvolver das tramar criadas para os jogos do gênero.

Uma metáfora para a criação do jogo

Assim como I Am Setsuna, o clima melancólico de Lost Sphear é guiado pelo objetivo primário da equipe e muito bem ritmado pela trilha sonora do jogo. Algo que podemos ver só de assistir a um vídeo.

Usando mecânicas já conhecidas de clássicos como Chrono Trigger, inspiração declarada para os dois jogos da Tokyo RPG Factory, a batalha parece seguir o mesmo padrão, com combos e ataques combinados, bem como ataques físicos utilizando armas brancas e etc.

Deste modo, a maneira como a história aborda a utilização de memórias para reconstruir o mundo pode ser vista como uma metáfora para o desenvolvimento do jogo se utilizando de lembranças e odes aos jogos clássicos do gênero.

Lost Sphear, a mais nova aposta da desenvolvedora, foi lançado no Japão no último dia 12 de Outubro, mas chega ao ocidente apenas no dia 23 de Janeiro de 2018.