Sekiro: Shadows Die Twice está com com altas expectativas devido ao retrospecto da From Software. Oferecendo diferentes abordagens para enfrentar os vários inimigos, a premissa aposta na verticalidade e em uma jogabilidade punitiva e desafiadora.

Em entrevista à Revista EDGE (via PlayStation LifeStyle), o diretor do jogo, Hidetaka Miyazaki, revelou que Sekiro contará com elementos fantasiosos e sobrenaturais. Além disso, os jogadores encontrarão coisas místicas e grotescas.

Nós não estamos baseados 100% na realidade. É claro que é importante manter o senso de fidelidade, mas nós não estamos tentando reproduzir a era histórica Sengoku. Enquanto nós exploramos elementos fantasiosos nos jogos anteriores, nós queremos aproximar isso com um pouco mais de dignidade nesta vez – um pouco mais cuidadosos, claro.

Mas, posso assegurar, que você não enfrentará humanoides o caminho todo. Existem coisas que vão além de humanos, um pouco do sobrenatural, coisas escondidas deste mundo. Em prol de construir esses seres fantásticos, místicos ou até mesmo grotescos, a base inicial do plano de fundo é muito mais realístico.

 

Ressurreição

O diretor também comentou sobre a mecânica de ressurreição. Segundo ele, os ninjas assumem mais riscos e são vulneráveis, comparados a guerreiros. Um movimento errôneo resultará em morte, e repetir as cenas do jogo não é bom para o ritmo. Ser capaz de ressuscitar – no local da morte – possibilita mais tempo dinâmico, mas o recurso não estará apto sempre que quiser.

Miyazaki disse que tal possibilidade não torna o jogo mais fácil, muito pelo contrário. Com isso, os combates serão ainda mais desafiadores colocando situações de combates onde a morte é um risco considerável o tempo todo. Todos terão medo da morte, isso é fato.