Shuhei Yoshida destaca PlayStation: “não esquecemos porque estamos aqui”

Hoje com o sucesso do PlayStation 4 e a iminente transição para a próxima geração, todos os olhos já estão atentos para o que vem por aí.

Shuhei Yoshida

Shuhei Yoshida, presidente da Sony Worldwide Studios, tem 25 anos de casa. Sabe muito bem tudo o que passou na história da PlayStation. Começou em uma pequena equipe em 1993 no desenvolvimento do primeiro console e não saiu mais. Por isso, é especialista na marca, tem muitas história para contar e, principalmente, entende muito bem o sucesso e as polêmicas pelas quais ela passa.

Hoje com o sucesso do PlayStation 4 e a iminente transição para a próxima geração, todos os olhos já estão atentos para o que vem por aí. E Yoshida, durante uma palestra no evento Develop, em Brighton, na Inglaterra, falou um pouquinho sobre isso – citando, claro, alguns exemplos de seu passado como experiências importantes para os capítulos a seguir na história da PlayStation. E tudo sempre começou com inovação.

No PlayStation original, por exemplo. “Havia uma Silicon Workstation, que custava cerca de 100 mil dólares. O Ken Kutaragi disse que conseguiria fazer uma máquina com todas aquelas características que poderia ser disponibilizada por menos de 500”, explicou ele, que duvidou um pouco no começo, mas foi fundamental para a ideia virar realidade – levando jogos como Final Fantasy e Crash Bandicoot ao console.

Depois disso, ele participou do desenvolvimento de Ico, com Fumito Ueda, e de toda a primeira transição de gerações da Sony, do PlayStation para o PlayStation 2. Segundo ele, foi um período super difícil. “Não tínhamos nenhuma ideia de como a indústria iria reagir. E no Japão o melhor eletrônico em vendas na época era um aparelho de DVD, chamado The Matrix, que estava estourando na época”, relembrou.

Mas isso não impediu o PS2 de ser um sucesso. No ciclo seguinte, Yoshida também foi peça fundamental, porque foi um dos integrantes da ICE, nova divisão criada para fazer uma área única de Engine na PlayStation. Segundo o presidente, “Foi uma mudança de cultura muito grande, que encontrou uma enorme resistência no começo”. Porém, como todos sabemos, o resultado foi excelente.

Até chegarmos ao PS4, que é o sucesso atual, Yoshida recorda que o trabalho foi muito árduo. Por isso, a empresa está se preparando para fazer uma transição suave quando for a hora disso. Ainda sem previsões (pelo menos, publicamente) de um PlayStation 5, mas com muitos rumores sobre isso já circulando, o presidente só garante uma coisa: o aprendizado com possíveis erros do passado.

“É a natureza humana. As pessoas cometem erros. Não sei o motivo. Mas nós somos todos humanos, não somos perfeitos. O PS4 está indo muito, muito bem. Mas nós não esquecemos o motivo de estarmos aqui agora”, garantiu.

E, sem dúvidas, o principal motivo do sucesso da Sony, especialmente no PlayStation 3 e no PlayStation 4, está no lineup de jogos exclusivos. Tanto que a frase “4 the Players” (Para os Jogadores) foi o grande marketing do PS4. Estamos vendo isso com diversos exclusivos sendo lançados e anunciados todo ano. Portanto, o que esperamos para os últimos anos do PS4 e o começo do PS5 é isso: exclusivos e mais exclusivos!