Fortnite virou uma febre sem precedentes. O jogo já tem 125 milhões de jogadores no mundo inteiro em diversas plataformas e traz uma fórmula simples, com acesso gratuito e viciante, graças ao modo multiplayer Battle Royale.

Atualmente, Fortnite tem versões para PlayStation 4, Xbox One, iOS, Mac, PCs Windows e foi recentemente lançado para Nintendo Switch.

A chegada de Fortnite ao console da Nintendo foi encarado como uma excelente notícia. Muitos usuários do PlayStation 4 e do Xbox One também são proprietários de um Switch, não só pelo apelo da biblioteca first party da Nintendo, mas pela opção de portabilidade do console.

Não é a toa que Microsoft e Nintendo anunciaram, com muito orgulho, o cross-play entre Xbox, PCs Windows e Switch para os jogadores de Fortnite. Isso significa que usuários destas plataformas podem usar suas contas da Epic Games em qualquer dispositivo em que o game esteja disponível, incluindo aí dois consoles de empresas concorrentes.

Bloqueio no PlayStation 4

O cross-play parece uma oferta interessante para os jogadores de Fortnite, mas se você jogou o game no PS4 usando seu usuário da Epic Games, esta conta está automaticamente bloqueada para uso no Nintendo Switch ou Xbox One. Isso significa que seu progresso, skins e outros itens estão restritos ao PlayStation 4.

No Switch, usuários com conta ligada ao console da Sony recebem a seguinte mensagem, que isenta tanto a Epic quanto a Nintendo de “culpa” pelo bloqueio:

“Esta conta de Fortnite está associada a uma plataforma que não permite seu uso no Switch. Nem Fortnite nem a o serviço ao consumidor da Epic podem alterar isso. Para jogar Fortnite no Switch, por favor, crie uma nova conta.”

A situação oposta também existe. Se você jogou Fortnite em outra plataforma e deseja experimentar no PS4 em algum momento, também não é possível.

Toda essa situação gerou uma série de comentários negativos para a Sony. Segundo o Polygon, as redes sociais da empresa japonesa estão sendo bombardeadas com perguntas e comentários negativos ao ponto de atrapalhar atualizações sobre eventos que estão acontecendo na E3 2018. Tópicos “furiosos” também podem ser encontrados nos fóruns do ResetERA e Reddit.

Sony e Nintendo comentam o caso

Toda essa situação se estendeu por dois dias até que a Sony emitisse uma declaração sobre o assunto – não muito satisfatória, aliás. Segundo a BBC, um representante da empresa, cujo nome sequer é citado, afirmou:

“Estamos sempre abertos para ouvir os interesses da comunidade PlayStation para melhorar a experiência dessas pessoas. Com mais de 80 milhões de usuários ativos na PSN, temos uma comunidade imensa de jogadores que jogam Fortnite juntos, além de vários outros títulos online. Nós também oferecemos cross-play em Fortnite com suporte a PC, Mac, iOS e dispositivos Android, expandindo a oportunidade para que os fãs do jogo aproveitem os games ainda mais em outras plataformas. Não temos nada mais a declarar além disso.”

Reggie-Fils-Aime, presidente da Nintendo Estados Unidos, comentou o assunto durante a E3 2018:

“Na verdade, existem três coisas acontecendo. Existem empresas como a minha, que disponibilizam e encorajam o cross-play. Existem desenvolvedores e criadores de conteúdo que querem encorajar cross-play. E existem outras empresas donas de plataformas, e as coisas que elas fazem” (…) “Esta é uma decisão que cada uma dessas partes está tomando e algumas apoiam o cross play, e outras não.”

A Sony já teve que lidar com comentários negativos sobre a ausência do cross-play antes em games como Minecraft e Rocket League. Na época, Jim Ryan, chefe de marketing global da Sony, declarou que não havia nenhum tipo de barreira “tecnológica” que impedisse a funcionalidade, mas que a decisão da empresa envolvia segurança e a falta de controle e “exposição de crianças a um ambiente não controlado” fora do PS4, ao falar especialmente sobre Minecraft.

As declarações de Ryan fazem pouco sentido quando se observa que a Nintendo, cujo posicionamento sempre foi extremamente “family friendly” ter aderido ao cross-play prontamente.

Motivos

Vale ressaltar, no entanto, que as declarações de Ryan ainda não explicam porque a Sony permite o cross-play entre o PS4 e PCs ou dispositivos Apple, por exemplo, e continua a restringir a funcionalidade com consoles de outras empresas.

Então, por que a Sony continua a defender uma estratégia que irrita os consumidores?

Basicamente, por que não há vantagem alguma para a empresa japonesa neste tipo de situação. O PlayStation 4 já vende mais do que o Xbox One ou que o Switch nos principais mercados. É natural que a Microsoft e a Nintendo sejam mais adeptas a estratégias agradáveis ao consumidor para tentar garantir fatias maiores do mercado.

Parece que as coisas ficam bem confortáveis depois que você já vendeu quase 80 milhões de consoles, ainda que alguns consumidores não estejam felizes. Liderança com muita vantagem – como neste caso – não está sendo bom para os fãs de PlayStation.