A Sony já tem uma política conhecida quanto ao PS Now: aguardar um tempo até liberar seus grandes exclusivos no serviço de assinatura. E isso não deve mudar tão cedo. Pelo menos foi o que indicou o CEO da SIE, Jim Ryan.

Em recente entrevista ao Games Industry, o chefão da PlayStation falou brevemente sobre o assunto. Embora tenha admitido que a postura da Sony tenha sido mais conservadora em relação aos first-parties, a empresa quer manter os lançamentos fora do PS Now por certo tempo.

Nossa posição na inclusão de first-parties no PlayStation Now em termos do que fizemos esse mês é muito diferente da nossa posição há doze meses. Agora, dado como algumas das nossas IPs são incrivelmente especiais e valiosas, queremos tratá-las com incrível carinho e respeito, e fazer esses lançamentos serem puros.

Para efeito de comparação, o Xbox Game Pass, que seria o serviço equivalente ao PS Now no Xbox One, recebe vários hits da Microsoft em seus respectivos lançamentos. Aparentemente, a estratégia da Sony vem dando resultado, visto que Ryan indicou continuar liberando blockbusters somente após um tempo.

Vale lembrar que em outubro, o PlayStation Now teve uma queda significativa em seus preços. Além disso, adicionou títulos importantes do PS4, como God of War, Uncharted 4: A Thief’s End, GTA V e inFAMOUS Second Son.

PS Now atinge 1 milhão de assinantes

O PS Now está fazendo sucesso. Um milhão de jogadores já aderiram ao programa, segundo anunciou a Sony em recente relatório financeiro. Houve um crescimento de 300 mil assinantes em relação a maio, o último mês que a empresa tinha passado tais números.

O serviço ainda não está disponível no Brasil. Mas considerando que este abrange 19 territórios e segue expandindo seus horizontes, não é difícil imaginar que vá vestir uma camisa verde e amarela em breve.