O questionamento é comum, e até normal: com a chegada de Red Dead Redemption 2, em outubro, a Rockstar e a Take-Two preveem uma “queda” em GTA V? A resposta, no entanto, é mais complicada do que isso. As companhias até acreditam que, sim, o jogo, lançado em 2013, não vai manter seu ritmo. Mas não por causa de outro título.

Em entrevista ao Games Industry, Strauss Zelnick, CEO da Take-Two, que é a empresa “por trás” da Rockstar Games (e de outros selos da indústria, como a 2K, por exemplo), afirmou que não vê um jogo como sendo “sucessor” do outro dessa forma. Muita gente, claro, ama os dois, mas não irá fazer uma “transição” entre um e outro.

“Não acho que haja uma transição. Não penso que funcione assim. Acho que quem ama GTA Online vai continuar a amar. Nem acho que haja tanta conexão assim entre grandes lançamentos, dentro ou fora da nossa companhia. Ma esperamos, sim, que os resultados de Grand Theft Auto acabem sendo mais moderados nesse ano”, disse.

Só que não necessariamente isso quer dizer que GTA V vai vender mal. É que ele vende muito, muito bem. Mesmo cinco anos após seu lançamento. Recentemente, por exemplo, foi o jogo mais vendido de junho na PSN. Já bateu diversos recordes. Continua com uma base gigante de jogadores e várias atualizações de conteúdo.

Só que ele foi lançado em 2013 e já estamos em 2018, então é mais do que “OK” vê-lo regredir agora. Especialmente quando começam rumores sobre uma nova geração de consoles e, mais do que isso, a atual geração começa a ter títulos de peso saindo um atrás do outro (apesar de Strauss Zelnick não acreditar que isso influencie).