Washington, a capital dos Estados Unidos, é o cenário dos eventos de The Division 2. Por isso, muita gente pensou que o game teria algum tipo de viés político. Até porque, a Casa Branca, o lar do presidente norte-americano, aparece em destaque nas imagens de divulgação do jogo em chamas. Mas não será o caso. A Massive Entertainment garante que o foco do game não é esse.

Alf Condelius, o COO da empresa, participou de uma conferência de games na Suécia e já descartou a possibilidade. Segundo ele, não há qualquer intenção de influenciar os jogadores com temas políticos.

“É um universo criado para pessoas explorarem e tentarem ser boas em meio a um caos. Tem muita gente já querendo colocar política, mas nós afastamos esse tipo de coisa, pois não queremos nos posicionar nesse cenário político atual”, afirmou.

De acordo com o executivo, inclusive, esse tipo de posicionamento, normalmente, é prejudicial para as vendas de um produto.

“Também é ruim para os negócios, infelizmente, se eu for ser sincero. Claro que é uma discussão bacana de se te, e estamos sempre aqui pra ouvir a comunidade, porque as pessoas sempre colocam as suas interpretações em cima do que nós criamos”, completou.

Com lançamento previsto para março do ano que vem, o novo The Division 2 levará a saga de Nova York, palco do game original, para Washington. Ainda não há muitos detalhes sobre o enredo, mas pelo gameplay demonstrado, o game promete ser uma evolução bem interessante do seu antecessor.