Com 2017 fazendo parte dos livros, começam a aparecer números e dados interessantes sobre o desempenho da indústria dos videogames. E ‘quem’ ganha as manchetes desta vez são as vendas digitais.

De acordo com Entertainment Retailers Association (via GamesIndustry), as vendas digitais no Reino Unido subiram cerca de 12% em 2017. Um pujante crescimento que reforça uma mudança na forma como os jogadores vem adquirindo seus jogos de videogame. No total, foram gastos cerca de £ 2,56 bilhões (libras esterlinas) só em jogos digitais naquele território.

Apesar dos bons números, Kim Bayley, diretor-executivo da empresa de pesquisa, pontua:

O meio físico pode não ser mais a opção padrão para muitas pessoas como já foi um dia, mas continua a ser uma parcela substancial. Onde se destaca quando oferece algo distintivo e adicional ao conteúdo, seja ele uma experiência tátil ou o simples fato de que objetos físicos funcionam bem como presentes. Continuo confiante de que os formatos físicos de entretenimento continuarão conosco nos próximos anos.

E os próprios dados apontam que houve um aumento (em comparação com último ano) de 2,1% nas vendas de jogos físicos na Terra da Rainha. A tendência é que os jogos digitais continuem ganhando terreno, mas não significa que as caixinhas físicas estão em extinção.

E mesmo que os dados compilados sejam do Reino Unido, não é difícil perceber que o formato digital vem sendo uma opção atraente, principalmente em promoções da PlayStation Store, quando (às vezes) grandes jogos são oferecidos a preços mais atraentes do que os vistos no varejo.

E aí no seu caso. Qual a prateleira mais cheia: a de caixinhas ou a biblioteca digital?