Dreams é sinônimo de imaginação e criatividade. Nós, do Meu PS4, testamos o game na BGS, e ele pareceu incrível. O título abre um vasto leque de possibilidades e garante diversão com criações de outros jogadores, além dos próprios games da Media Molecule.

Pudemos testar alguns minigames criados pelo estúdio. O primeiro foi um arcade 2D, em que era preciso destruir bases inimigas. Os controles básicos e rápidos (que remetem ao gênero de jogo) fazem jus a qualquer clássico desse estilo.

Testamos na BGS 2019: Dreams, um infinito de possibilidades 1

Depois, um joguinho de futebol, onde você enfrenta a CPU com um personagem e precisa colocar uma bola gigante dentro do gol. Com uma jogabilidade simples e muito divertido, assim como qualquer jogo de esporte, ele te leva da euforia à raiva – ao perder um jogo.

Por fim, uma aventura que lembra os jogos de Sonic da atual geração. Em 3D, os jogadores precisam terminar a fase no menor tempo possível, correndo entre vários obstáculos. Não é fácil terminar, mas é bastante recompensador.

Testamos na BGS 2019: Dreams, um infinito de possibilidades 2

Se você é um criador, Dreams é obrigatório

Dreams, em geral, é uma experiência gratificante. Porque é possível ver o quão longe vai a criatividade de desenvolvedores e dos próprios gamers. Se sua mente gosta de trabalhar a imaginação, este é um jogo obrigatório.

E até mesmo para quem não tem experiência nisso ou não se interessa tanto nesse aspecto, sempre há o lado de que é possível aproveitar os jogos feitos por quem tem talento para tal. Como foi o caso da nossa análise.