Jogamos! DEMO de Resident Evil 2 com Claire une ação e emoção

Jogamos a demo da campanha Claire Redfield!

Claire Redfield_Resident Evil 2_PS4

O MeuPS4 não teve a oportunidade de ir até a Gamescom 2018 este ano, mas a Capcom trouxe parte do evento para nós, aqui no Brasil mesmo. Fomos convidados para testar uma nova demo de Resident Evil 2: um trecho da campanha de Claire Redfield.

Há um tempo atrás nós jogamos com Leon e tivemos uma experiência que misturava claustrofobia, terror, exploração e muitos zumbis em cenários reimaginados da R.P.D. Enquanto a demo do policial é mais nostálgica e demonstra bem os elementos que definem esta nova versão de Resident Evil 2, a build com Claire tem uma função mais narrativa: assistimos mais cenas de diálogos, além de encararmos a batalha contra um chefe.

Mais mudanças nos cenários

Claire Redfield em RE2

O conceito da “reimaginação de um clássico” ficou evidente mais uma vez nesta nova demo. Começamos a jogar na sala de Brian Irons, o delegado da R.P.D. O ambiente foi totalmente reformulado em relação ao original, mas ainda é familiar: o personagem continua a nutrir a paixão insana pela taxidermia e os bizarros animais empalhados continuam a decorar a sala.

O local dava acesso a uma área maior que parecia ser uma casa de máquinas da R.P.D, através de uma escadaria. Esta parte do cenário é praticamente nova, sendo uma versão reformulada expandida daquela sala em forma de “H” em que deveríamos colocar os plugs de peça de xadrez para chegar ao esgoto.

Mais uma batalha inesquecível

Claire é atacada pelo mutante G

A conformação desta área, praticamente nova, tem um propósito: ela abriga a batalha contra a primeira forma de William Birkin, ou o Mutante G. Para quem não se lembra: Birkin é um pesquisador da Umbrella, que está desenvolvendo o G-vírus. As coisas acabam dando muito errado quando a empresa maléfica tenta tirar a criação do cientista e ele acaba injetando o vírus em si mesmo para evitar a própria morte.

Birkin é um monstrengo grande, com um olho no ombro direito e carrega um cano em uma das mãos, que usa para bater em Claire. O cenário é basicamente um labirinto claustrofóbico, escuro, com fumaça de vapor para todos os lados. O resultado é um clima de tensão incrível, com um chefe que ocupa um espaço enorme, usa uma arma que aumenta seu alcance e não permite que você desvie dele em corredores super apertados. O jogador é obrigado a estar sempre ganhando distância para atingi-lo, mas enquanto vaga pelo labirinto, pode acabar em becos sem saída e ficar completamente cercado.

Claire pode se defender usando uma faca ao ser agarrada com um comando de ação, assim como Leon fazia com os zumbis na primeira demo. A personagem também estava equipada com uma granada de mão e também é possível usá-la como um item de defesa durante a batalha em situações mais tensas.

A atenção aos detalhes continua a aparecer durante a batalha. Os disparos de granadas incendiárias alteram a aparência de William Birkin, deixando o corpo do monstro escuro, com um aspecto de carbonizado mesmo.

Belíssimas cenas de corte

Claire Redfield em RE2

Certamente uma das coisas mais interessantes ao se jogar um remake é a chance de ver um jogo antigo com visuais atualizados, mais realistas. Nesse quesito, a Capcom acerta em cheio na reimaginação de Resident Evil 2.

Esta nova demo trouxe mais cenas, principalmente interações entre Claire e Sherry. As cutscenes demonstram o grande poder de fotorrealismo da RE Engine, feita pela própria desenvolvedora. Os modelos dos personagens, assim como sua movimentação e expressões faciais estão bastante realistas.

A atuação dos dubladores também é um ponto que vale atenção especial. Os diálogos esquisitos que marcavam os games clássicos da série Resident Evil parecem ter ficado para trás nas cenas de corte. Podemos ver que o roteiro foi escrito de forma a deixar a personalidade dos personagens surgirem naturalmente enquanto você acompanha as cenas.

É muito interessante ver como Claire é uma jovem com um comportamento maternal em relação à Sherry, mas é do tipo que não leva desaforo para casa. Já Brian Irons, que aparece nos últimos momentos da demo, deixou um pouco de lado o comportamento insano para se tornar um vilão mais calculista.

No entanto, existem alguns pontos negativos. Durante a batalha contra Birkin, Claire solta algumas falas aleatórias que soam muito artificiais e nem condizem com a forma como ela parece estar encarando a situação, como “não se aproxime” ou “parece um pesadelo”. Até a atuação da dubladora parece meio esquisita nesses momentos justamente pela forma artificial como essas frases são inseridas no combate.

Outra questão é a aparente contradição entre a idade e a aparência/comportamento de Sherry Birkin. No original, Sherry era muito infantilizada para uma menina de 12 anos. Apesar de parecer ser mais ativa na história do que um mero NPC a ser protegido, Sherry continua a parecer uma menina muito mais nova, especialmente em relação à aparência.

Possibilidades em aberto

Claire Redfield e Sherry Birkin

No final da demo, chegamos à garagem da R.P.D, que também está com um formato novo. Ao explorar as portas (que não abrem, mas tem partes envidraçadas) era possível ver alguns corredores conhecidos do subsolo da delegacia – como aquele que tem o necrotério.

A última cena mostra Brian Irons levando Sherry à força após render e ameaçar Claire. A cena é um ponto-chave: vemos Irons se tornar um vilão mais crível, menos megalomaníaco e Claire demonstrar seu lado de garota durona, mas o vilão leva Sherry para o lado de fora da delegacia, indo em direção às ruas de Raccoon City. A cidade não tem um papel de muito destaque no jogo original, mas se Claire prometeu proteger a garotinha, será que iremos segui-la pelas ruas?

A Capcom já prometeu e demonstrou que temos mapas que não são somente reimaginados, mas expandidos também. Talvez o novo game abra mais espaço para a exploração de Raccoon City. Quem sabe?

Resident Evil 2 chega em 25 de janeiro de 2019.