Jogamos! Devil May Cry 5 tem combate estiloso e divertido

Game traz belos visuais com jogabilidade muito fluída.

Tivemos a oportunidade de experimentar alguns minutos de Devil May Cry 5! A Capcom disponibilizou a demo pública da Gamescon 2018 para a imprensa brasileira e o MeuPS4 foi um dos convidados.

Jogamos cerca de 15 minutos do game, que é uma sequência direta do quarto jogo da série, lançado no PlayStation 3, em 2008. Ao contrário do que aconteceu com o reboot feito pela Ninja Theory, Devil May Cry 5 realmente se conecta com seu verdadeiro predecessor não somente em termos de história, mas na estética, jogabilidade e na personalidade da série como um todo.

A demo começa com Nero e Nico – a parceira do caçador de demônios – chegando em Red Grave City, na van Devil May Cry (é claro que as maravilhosas letras de LED estão lá). A cidade, que parece inspirada em Londres, foi invadida por uma espécie de árvore demoníaca.

Obviamente os mais variados tipos de demônios infestam o lugar e são apresentados ao jogador em pequenos grupos conforme você avança pelo cenário. Logo que o jogador começa a experimentar os primeiros golpes e combos já se sente familiarizado com a espada Red Queen, mas percebe que o grande diferencial do gameplay é o braço mecânico de Nero, o Devil Breaker.

Na demo existem dois tipos de Devil Breaker (Overture e Gerbera), que produzem efeitos diferentes quando acionados durante o combate. O Overture causa ataques elétricos, enquanto o Gerbera consegue ser disparado na direção dos inimigos, causando grande dano. O uso faz com que Nero perca as próteses e você precise coletar mais pelo cenário. Não é a coisa mais realista do mundo, mas a gente está falando de Devil May Cry, não é mesmo?

Combinando os efeitos variados dos braços – que vão ser 8 na versão final – com golpes rápidos de espada e tiros, o jogador consegue criar os combos estilosos e acompanhar o rank. A parte mais recompensadora dessa parte é ir encaixando os ataques, ver sua “nota” subir no canto direito da tela e sentir o volume da música tema de Devil May Cry 5 (“Devil Trigger”) subir e o refrão começar a tocar . É uma motivação a mais para manter os dedos cada vez mais ágeis e cantar “Bang, bang, bang! Pull my Devil Trigger!”

Apesar de o jogo ser esteticamente muito bonito em vários aspectos, a tela parece um tanto poluída. É legal ver seu rank a cada combo, mas é tudo extremamente colorido e existem muitos ícones da interface de usuário, todas aparecendo ao mesmo tempo. Nada do que aparece é exatamente inútil, mas a barra de vida de Nero, por exemplo é emoldurada por uma espécie de “vidro quebrado” que ocupa um espaço desnecessariamente grande na tela. O jogo poderia ser um pouquinho mais minimalista nessa parte.

A demo também trazia uma batalha contra chefe – um demônio gigante – em dois cenários, uma espécie de praça e dentro de uma construção antiga. Vale destacar o visual do monstro, com uma boca bizarra, que parecia cheia de fogo, localizada na barriga.

A luta segue o padrão dos confrontos anteriores e esse é o momento de você mostrar que aprendeu a incluir o Devil Breaker em seus combos com os inimigos mais fracos. A criatura é bem maior e exige uma maior movimentação vertical para aplicar os golpes, além de ter alguns ataques bem poderosos – daqueles exageros bem loucos, típicos da série Devil May  Cry.

Com visuais de cair o queixo e personagens cheios de carisma, Devil May Cry 5 é uma pedida certa para quem quer diversão e muitos combos rank S. O game tem data certa para chegar: 8 de março de 2019.