[Preview] Será que Paladins é um competidor à altura de Overwatch?

Paladins está passando por uma de testes fechada desde o início desta semana e tivemos a oportunidade de experimentarmos esta versão ainda não finalizada do game.

E, logo de início, é impossível não associar o game da Hi-Rez com Overwatch. Entretanto, Paladins conta com elementos que o distanciam um pouco do título da Blizzard. As adições são interessantes e conferem um pouco de personalidade ao jogo.

Mas aquilo que o jogo apresentou é capaz de conquistar uma posição de relevância no mercado? Após horas de jogatina trazemos nossas primeiras impressões.

Os Paladinos do Reino

Trata-se de um jogo do gênero ação-tiro em primeira pessoa inteiramente online. Não há modo campanha (os modos acessíveis são apenas de multijogador). Claro que dentro desta categoria, existem opções diferentes.

Paladins é ambientado em um mundo de fantasia dominado por uma tecnologia ancestral com campeões especializados no uso de poderes, magias e armamentos.

Não existe um enredo ou história por trás do game, apenas aquela de origem de cada personagem presente para escolha. Isso acaba por deixar as coisas desconexas, já que o motivo pelos quais os campeões se enfrentam, aparentemente, é por simples diversão.

Os campeões

O primeiro ponto  positivo notado começa pelo variado cartel de campeões disponíveis. Em contrapartida, inicialmente, não são todos liberados para uso do jogador.

Um cartel variado, mas nem todo desbloqueado

A escolha dos heróis funciona semelhante a League of Legends. Existem aqueles que estão gratuitos para uso (aparentemente, a seleção será alterada a cada semana) e os outros disponibilizados para aquisição, seja por dinheiro in-game ou dinheiro real.

Aqueles adquiridos pelo jogador estarão permanentemente acessíveis para uso contínuo, garante o estúdio.

São 22 campeões categorizados em: “Flanco”, personagens rápidos e fundamentais para enfraquecer as linhas de frente do grupo inimigo; “Curadores”, responsáveis pela recuperação da vida e habilidades da party; “Dano”, heróis geralmente pesados e focados em ataques ofensivos poderosos; e “Tanque”, os que chamam o combate para si devido ao alto nível de vida.

Cada campeão, além de seus atributos e status únicos, possuem quatro (4) habilidades e um (1) poder especial. Todos os poderes precisam de um tempo de espera após o uso.

A variedade permite construir a estratégia correta para vencer os modos de jogo. Tratando sobre estes, especificamente, são semelhantes ao de Overwatch – é realmente impossível não traçar um paralelo -. Dominar os pontos marcados no mapa, ou levar a carga até o fim do trajeto e outros.

Elementos de RPG

É neste ponto o diferencial de Paladins para outros MOBA em primeira pessoa. Conforme a progressão do jogador, evoluindo o nível e realizando conquistas, é possível coletar cartas e formar o próprio deck de melhorias e benefícios.

As cartas em Paladins garantem melhorias pontuais para a estratégia

Não é possível alterar as habilidades, as essências dos campeões são imutáveis. Mas é permitido, por exemplo, garantir dano extra, ou vantagens de defesa e cura, ou até mesmo habilidades passivas.

Através de baús conquistados por boas partidas, itens aleatórios são sorteados e as cartas aparecem. Cabe ao jogador tirar proveito de cada uma delas e montar uma build favorável.

Outra característica interessante ainda sobre esse sistema é que as cartas são representadas pelas figuras de cada campeão. Ou seja, os baralhos são específicos. É possível criar mais de um (1) deck diferente para cada herói e estabelecê-los durante a partida.

As personalizações estão bastante presentes. É possível alterar partes do equipamento conforme o desejo do jogador

Acelera, Barrichello

O ponto crucial que precisa ser melhorado é a jogabilidade travada. Em muitos momentos, foi sentido que o game exigia uma velocidade mais intensa, uma dinamicidade maior, mas “empacava” em ritmo mais cadenciado.

O level design das fases acaba por contribuir essa questão, uma vez que os combates, repetidamente, acabam focados em uma área específica do mapa. Nestes momentos, em que é preciso ser ágil, o jogador sente-se preso a uma movimentação limitada.

O level design impõe um único local de combate, restrito e limitado

A dificuldade não retira a diversão do jogo, que consegue ser aplicada em doses corretas, mas pode atrapalhar o interesse de muitos. Acostumados a um ritmo mais dinâmico, cadenciar este gênero pode ser um erro fatal.

Felizmente, os servidores apresentaram uma estabilidade formidável. Não houve um problema sequer de conexão ou instabilidade.

Esse aqui tem futuro

Paladins tem a fórmula correta e seus elementos de RPG são bem implementados, garantindo um toque de exclusividade. Porém, o ritmo um pouco mais lento dos embates pode incomodar.

Como o título ainda está em fase beta, podemos esperar por uma melhoria na jogabilidade, com o feedback dos jogadores, após esta fase de testes.

O jogo é bom, de fato, e se torna uma proposta alternativa. E, apesar de se parecer com outro popular jogo, ainda conta com suas particularidades. Todavia, o estúdio ainda tem um longo percurso para solidificar a proposta.